Monthly Archives: janeiro, 2017

Um menino 7 anos de idade morreu após seus pais rezarem por ele em vez de levá-lo ao hospital, alega a promotoria pública do estado americano de Minnesota. Os pais, Timothy e Sarah Johnson, foram indiciados por negligência e devem comparecer ao tribunal este mês.

Por semanas, o menino Seth Johnson sofreu de pancreatite aguda e sepse — infecção geral grave —, mas nunca foi levado pelos pais para se consultar com um médico. De acordo com a Justiça, o garoto chegou a ser deixado em casa sozinho sob os cuidados do irmão de 16 anos para os pais irem a um casamento num fim de semana. Na volta, com o filho em um estado de saúde mais crítico, os pais simplesmente oraram para ele e o colocaram para dormir. Apenas quando Seth foi encontrado incosciente e coberto de vômito, os pais ligaram para a polícia.

— Não podemos compreender como um pai deixaria um filho de 7 anos muito doente aos cuidados de um adolescente de 16 anos para que pudesse sair no fim de semana — disse ao “Independent” Mike Freeman, promotor do condado de Hennepin. — Nem podemos compreender como os pais se recusaram a voltar para casa no domingo de manhã para cuidar de seu filho doente quando eles foram avisados de sua condição grave. Também é difícil compreender por que os pais não chamaram uma ambulância no domingo à noite para obter imediatamente ajuda médica quando finalmente chegaram em casa.

PAIS DISSERAM TER ‘PROBLEMAS COM MÉDICOS’

Segundo Freeman, apesar de Timothy e Sarah Johnson terem presunção de inocência, a equipe da promotoria usará todos os recursos para que eles sejam considerados culpados.

Um documento de cinco páginas elaborado pelos promotores explica como o casal conheceu Seth aos 3 anos de idade, adotou-o aos 4 anos e o educou em casa. Segundo este mesmo documento, o casal afirmou que o comportamento do menino mudou nas semanas que antecederam sua morte, em 29 de março de 2016. Ele parou de dormir, desenvolveu bolhas nas pernas, lesões nos calcanhares, passou a levar cerca de duas horas para fazer as refeições e, às vezes, jogava-se pelas escadas.

Mas, aparentemente, eles nunca procuraram ajuda profissional porque tinham “problemas com médicos”, de acordo com o documento. Em vez disso, eles mesmos diagnosticaram o garoto com transtorno de estresse pós-traumático e lesão cerebral traumática.

Segundo a polícia, o casal afirmou que o menino tinha sido previamente diagnosticado com problemas identificados como síndrome alcoólica fetal e transtorno de apego reativo — quando se sofre de negligência infantil. No entanto, a clínica que os pais deram como referência para a polícia checar essas informações afirmou que não tinha nenhum registro de já ter tratado o menino alguma vez.

Ainda de acordo com a polícia, as feridas apresentadas pela criança foram tratadas pelos pais com pomada antibiótica e um “mel medicinal”.

Suas feridas foram alegadamente tratadas com pomada antibiótica Neosporin e “mel medicinal”. Quando os pais voltaram para casa, na noite em que o menino morreria, eles “oraram por sua saúde”, e, depois de darem banho nele, colocaram Seth para dormir. Somente depois de o pai encontrá-lo inconsciente e coberto de vômito, a mãe ligou para a polícia.

O caso não é o primeiro assim a acontecer. No Canadá, um casal cristão teria rezado por duas horas para seu filho diabético que estava morrendo, sem levá-lo ao hospital. E, em outra ocasião, um pai foi preso por se recusar a procurar tratamento médico para seus filhos por causa de crenças religiosas.

Fonte: O Globo

O casal está junto há 70 anos e disse não receber visitas há bastante tempo

Facebook

Após ouvirem os idosos chorando no seu apartamento, os vizinhos do casal chamaram a polícia para ver se eles precisavam de ajuda.

Os policiais atenderam à chamada e foram até o apartamento. Chegando lá, eles encontraram Joe, de 94 anos, e o sua esposa, Michele, de 84 anos.

O casal está junto há 70 anos e disse não receber visitas há bastante tempo, motivo da sua tristeza.

Enquanto esperavam a chegada de uma ambulância para checar o estado de saúde do casal, os policiais prepararam um macarrão para os idosos.

Os policiais do departamento de polícia de Roma disseram que sua missão naquele momento era “tranquilizar duas almas solitárias”.

COMENTÁRIO: É IMPRESSIONANTE A MALDADE DESSES QUE ABANDONARAM ESSE CASAL DE IDOSOS, CHORAR DE DOR FÍSICA É MELHOR QUE CHORAR DE SOLIDÃO, POIS A DOR FÍSICA PODE SER CURADA COM MEDICAMENTOS, MAS A DOR DA SOLIDÃO ESSA SÓ COM AMOR, NESSE CASO AMOR DOS FILHOS, IRMÃOS, SOBRINHOS, QUE ESSE CASAL CHORA. A PARENTELA DESSES IDOSOS NÃO SABEM VALORIZAR ÁS JOIAS QUE TÊM. (Maciel Silva)
Fonte: 24h News
Veja o momento chocante no qual uma cobra-marrom foi filmada comendo uma píton

A apanhadora de cobras Sally Hill, que foi chamada para o local do incidente em Queensland, disse que nunca tinha visto algo como esse antes.

Ela acrescentou que a cobra, vista em uma casa perto de Brisbane, nordeste da Austrália, levou mais de três horas para acabar com sua presa.

“Nunca vimos algo desse tipo antes. É muito raro que um apanhador de cobras tenha essa oportunidade”, disse ela.

“Sempre ouvimos o velho ditado que diz “se você tem uma píton em um lugar, não terá uma cobra-marrom”, mas sempre achei que era um mito.”

“Nós apenas a colocamos dentro da caixa. Perturbá-la só faria ela vomitar sua refeição, o que seria um desperdício”, disse ela.

Cobras-marrons, encontradas em toda a costa leste do continente australiano, são as mais mortíferas do país, causando mais mortes por ano do que qualquer outra.

Rápidas, agressivas e mal-humoradas, elas também possuem um veneno classificado como o segundo mais tóxico entre todas as serpentes do mundo.

Seu veneno causa paralisia progressiva e impede a coagulação do sangue.

A média de comprimento da espécie é de um metro e meio, embora algumas possam chegar até a dois metros.

Fonte: 24hNews

De acordo com a publicação, a mãe da adolescente descobriu que a filha havia postado fotos íntimas na internet e teve uma discussão com filha. Ela tentou bater na menor, mas foi impedida.

Um americano foi preso por ter agredido a própria filha de 14 anos após descobrir que ela havia publicado fotos nas quais aparecia nua no aplicativo Snapchat.

Christian Amason, de 45 anos, foi detido no último domingo, no Tennessee, nos Estados Unidos, depois ser denunciado às autoridades pela vítima. As informações são do jornal.

De acordo com a publicação, a mãe da adolescente descobriu que a filha havia postado fotos íntimas na internet e teve uma discussão com filha. Ela tentou bater na menor, mas foi impedida.

O pai da jovem, então, se envolveu no conflito e acabou agredindo a menina.

A vítima alega ter sido agredida em diversas partes do corpo e que o pai, inclusive, tentou enforcá-la. O homem confessou o ataque à políca local e foi acusado de abuso e negligência infantil.

Agentes do serviço social se envolveram na história e vão avaliar o caso.

Pelo Snapchat usuários podem postar fotos e vídeos que desaparecem após algumas horas.

Segundo a polícia, ele divulgou as fotos da jovem nua após ela não reatar o relacionamento com ele.

Um assassinato foi registrado, na quinta-feira (5), na cidade de Contagem, em Belo Horizonte. A vítima foi identificada como Johnatan Cortez dos Santos, de 23 anos. O jovem foi morto após ser apontado como o principal suspeito de ter espalhado fotos de sua ex-namorada nua em grupos de WhatsApp. O acusado de ter cometido o crime é o próprio pai da jovem, de 52 anos. O suspeito está foragido.
Segundo informações repassadas pela polícia, a vítima teria divulgado as fotos da ex-namorada de 18 anos por vingança, após a mesma se recusar a reatar o relacionamento com o primo. Ainda de acordo com a polícia, o pai da jovem, ao ficar sabendo das imagens explícitas, foi até a residência do sobrinho para tirar satisfações. No entanto, a tia da vítima, que é irmã do acusado, se recusou a abrir a porta para o suspeito, mas o jovem decidiu encarar o ex-sogro. O rapaz foi até a residência do criminoso e começaram uma discussão.
O suspeito pegou uma faca e desferiu vários golpes no sobrinho. Johnatan ainda chegou a correr dentro da residência, mas devido às gravidades dos ferimentos caiu já agonizando até a morte. Após cometer o crime, o meliante fugiu do local tomando rumo desconhecido. De acordo com Valdete Cortez, tia da vítima e irmã do suspeito, há cerca de 4 meses o casal tinha terminado o relacionamento, pois a jovem tinha percebido que o namoro não tinha futuro. Segundo Valdete, a sobrinha queria progredir na vida, estudar e trabalhar, mas a vítima não o acompanhava.
Após o fim do relacionamento, o jovem não deixava a garota em paz. Conforme relata Valdete, o seu irmão estava bêbado e a mesma tinha pedido para Johnatan não ir em sua casa, mas ele não lhe ouviu. Ainda de acordo com Valdete, ela teria ouvido quando seu irmão falou: ‘vai continuar infernizando a vida da minha filha’. Conforme relata a Polícia Militar, ao chegarem na residência localizada na rua Negro, no bairro Riacho das Pedras, os policiais se depararam com o jovem caído no chão, já sem vida.
A polícia disse que o autor do crime ainda está sendo procurado e a jovem ainda não prestou o seu depoimento e não registrou um BO sobre o compartilhamento das fotos. Segundo a polícia, o jovem já tinha passagem pela polícia por violência doméstica. O caso está sendo investigado.
 

Termina nesta segunda-feira, dia 09 de janeiro, o prazo para que os prefeitos e prefeitas interessados registrem chapas que irão disputar o comando da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (FAMEM), biênio 2017/18.

O registro está sendo feito na própria sede da entidade municipalista – localizada na Rua Leblon, Quadra B, Casa 01, Parque Calhau, em São Luís – no horário das 8h às 18h.

A eleição que definirá o novo presidente e diretores acontece no próximo dia 16, das 8h30 às 17h30, também na sede da entidade.

Estão aptos a registrar as chapas prefeitos e prefeitas, cujos municípios, são filiados à Federação e que estejam com suas contribuições em dia.

Exercendo interinamente o cargo de prefeito, os presidentes das Câmaras Municipais de Dom Pedro e Bacuri poderão participar da eleição, desde que os municípios estejam adimplentes.

Gestores de municípios que não são filiados à entidade também poderão participar do pleito. Eles só precisam efetuar suas filiações até o próximo dia 13.

Prefeitos, cujas cidades, estão com mensalidades em atraso também poderão votar mediante o pagamento, que poderá ser efetuado até no dia da eleição.

O secretário nacional de Juventude, Bruno Júlio, foi demitido nesta sexta-feira (6), depois de criticar a repercussão dada ao massacre de presos no Amazonas e em Roraima. Ele disse que estava “havendo uma valorização muito grande da morte de condenados, muito maior do que quando um bandido mata um pai de família que está saindo ou voltando do trabalho”.

O Palácio do Planalto considerou “infeliz” a declaração do secretário. Segundo assessores do Planalto, porém, o secretário pediu demissão e ela foi aceita pelo presidente Michel Temer na noite desta sexta.

Horas antes, o secretário havia dito que era “filho de policial” e entendia “o dilema diário de todas as famílias”. “Quando meu pai saía de casa, vivíamos a incerteza de saber se ele iria voltar, em razão do crescimento da violência”, afirmou o secretário – seu pai, Cabo Júlio (PMDB), atualmente é deputado estadual em Minas Gerais.

À coluna do jornalista Ilimar Franco, publicada no site do jornal O Globo, Bruno Júlio disse que “tinha era que matar mais” e “tinha de ter uma chacina por semana”. “Eu sou meio coxinha sobre isso. Sou filho de polícia, né? Tinha era de matar mais. Tinha de fazer uma chacina por semana”, afirmou à coluna.

Após a repercussão da declaração, o secretário divulgou nota sobre o assunto. “O que eu quis dizer era que, embora o presidiário também merecesse respeito e consideração, eu entendo que também temos de valorizar mais o combate à violência. Mecanismos que o Estado não tem conseguido colocar à disposição da população plenamente”, afirmou.

Bruno Júlio foi nomeado por indicação da bancada mineira do PMDB. Ele é presidente licenciado da Juventude Nacional do partido. Para o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, é uma “afronta” mantê-lo na secretaria após as declarações.

O Brasil demorará mais tempo a sair da crise por um motivo psicológico: o viés de confirmação. Trata-se da tendência de interpretar os fatos de modo a que confirmem hipóteses iniciais – mesmo que sejam falsas.

Quando a economia brasileira ia relativamente bem, com o pleno emprego da presidente Dilma Rousseff, as forças interessadas em derrubá-la apontavam uma catástrofe inexistente.

Agora que existe uma catástrofe real, com o estrago produzido por Michel Temer e Henrique Meirelles, as forças que apoiaram o golpe enxergam uma recuperação que nunca chega.

Por essa lógica, Dilma quebrou o Brasil quando todos tinham emprego e Temer e Meirelles salvam o Brasil, quando todos demitem.

Recentemente, o economista Maílson da Nóbrega disse que “todos erraram” em suas previsões sobre o pós-impeachment. Na verdade, só erraram – e continuam errando – os que pensam de acordo com esse viés de confirmação.

Fonte: Brasil247

Populares e familiares de Adrina Reis, reuniram-se para pedir justiça e providências das autoridades para elucidar o caso do assassinato da jovem. Adriana, foi estuprada e brutalmente assassinada na madrugada do dia primeiro de janeiro nas proximidades de sua residência.

O crime chocou a população de Paulino Neves, pelo requinte de crueldade, uma verdadeira barbárie contra uma jovem que tinha tanta vida pela frente, sendo interrompida de maneira cruenta e perversa, por um monstro, que precisa ser encontrado e punido com toda severidade da justiça.

Este crime não pode ficar impune e nem cair no esquecimento da lentidão da justiça, é necessário desvendá-lo o mais rápido possível, em resposta a sociedade, que não suporta mais viver em meio a uma sensação de impunidade, onde delinquente ceifa a vida de inocente e ainda goza de liberdade.
Fonte Blog do Sergio Roberto
1 29 30 31