Monthly Archives: julho, 2017

Na manhã de ontem(29), por volta das 11h,  um celta colidiu com um caminhão, o acidente aconteceu na BR 135, próximo a Capinzal do Norte. Francisco José dos Santos, condutor do Celta, morreu na hora, seu corpo ficou preso ás ferragens, o corpo de bombeiros foi chamado para tirar a vítima das ferragens, fato que aconteceu por voltas das 15h da tarde de sábado. Francisco José dos Santos, estava vindo de Teresina para visitar parentes na cidade de Capinzal do Norte. O condutor do caminhão teve apenas ferimentos.Veja abaixo as fotos do ocorrido

Bombeiros e PRF trabalhando

Celta, totalmente destruindo

Celta

Caminhão envolvido no acidente

Domingos Dutra – Prefeito de Paço do Lumiar/Foto: Divulgação

Nota de esclarecimento
Tentativa de homicídio contra a secretária Núbia Feitosa

A secretária de Administração e Finanças de Paço do Lumiar e primeira-dama do município, Núbia Feitosa, foi vítima de uma tentativa de homicídio no final da tarde desta sexta-feira, 28, na Estrada do Sítio Grande, que interliga a Estrada da Maioba ao conjunto Maiobão. Ela foi ferida nas mãos, rosto e ombros e não corre risco de morte.

A secretária estava voltando pela Estrada do Sítio Grande acompanhada por dois assessores, quando avistou um homem agredindo uma mulher. A secretária pediu para parar o veículo e foi tentar acalmar o agressor e tirar a mulher do alcance dele. No entanto, o homem – que apresentava sinais de embriaguez –, discutiu com a primeira-dama, tendo sacado a arma e atirado várias vezes, atingindo-a.

A secretária foi socorrida e encaminhada para um hospital particular de São Luís para ser submetida a procedimento cirúrgico.

O prefeito Domingos Dutra, bastante abalado, alertou que há uma campanha de ódio em Paço do Lumiar contra ele e a secretária de Administração e Finanças. Ele admite que isso pode ter alguma ligação com a tentativa de homicídio contra a primeira-dama, mas ressaltou ser necessária uma investigação da Polícia.

A Secretaria de Estado de Segurança imediatamente determinou o início de investigações sobre o ocorrido. O autor dos disparos, segundo investigações preliminares, seria um sargento da Polícia Militar.

Os quatro policiais militares do Choque que apareceram em vídeos quebrando uma casa de jogos ilegais, atirando pra cima e jogando bombas, foram afastados de suas funções e responderão inquérito militar. A depredação aconteceu no ultimo dia 23 deste, no domingo passado, nas proximidades da feira da Cohab.
Imagens das câmeras de segurança mostram o momento em que os militares chegam e fazem revistas nas pessoas, que parecia mais uma operação de rotina no combate ao jogo de azar. Porém, eles foram se irritando e praticando gestos desgovernados.

Quebraram as máquinas de caça níquel, cadeiras e mesas. E furiosos, atiraram de escopeta para o teto, além de jogar bombas dentro do local, quebrar geladeiras e ar condicionado. Uma parede de gesso também foi quebrada. Abaixo o vídeo das ações sem controle dos policiais:

 

Do Blog do Luís Cardoso

Plenário do TCE-MA formado por parentes de detentores de cargos elegíveis

Se aprovado pelo Congresso Nacional e for transformado em lei, o projeto do senador Álvaro Dias (Pode-PR), que torna inelegíveis cônjuges e parentes, até o terceiro grau, de ministros ou conselheiros dos Tribunais de Contas e de membros do Ministério Público de Contas, pode fazer um estrago danado na política maranhense, onde diversos parentes de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) são detentores de cargos públicos elegíveis.

Edmar Cutrim (ex-presidente do TCE) com os filhos Gil Cutrim (E), ex-prefeito de São José de Ribamar, e Glauber Cutrim, deputado estadual

Para que se tenha ideia, no Maranhão esta lei atingiria de cheio o senador Roberto Rocha (PSB), a ex-governadora Roseana Sarney, o deputado Sarney Filho (ministro de Meio Ambiente), o deputado Glauber Cutrim, que são, assim como outros políticos, parentes de conselheiros da Corte de Contas, e se ela tivesse em vigor há mais tempo Jackson Lago não poderia ser prefeito nem governador; Wagner Lago, deputado; Gil Cutrim, Helena Pavão e Luiz Rocha Filho, prefeitos; e muitos outros.
O senador Alvaro Dias (Pode-PR), autor do projeto, diz que o objetivo é “prestigiar a moralidade administrativa e a igualdade entre os candidatos”. Ele chamou atenção para o desequilíbrio no processo eleitoral diante da responsabilidade fiscalizadora dos Tribunais de Contas. Leia reportagem em Maranhão Hoje.
Veja na composição do Tribunal de Contas do Estado os conselheiros e seus parentes políticos:
  • Edmar Cutrim – Pai do ex-prefeito Gil Cutrim (São José de Ribamar) e do deputado Glauber Cutrim.
  • Nonato Lago – Irmão de Zeluis Lago (que foi candidato a governador em 2014), do ex-governador e ex-prefeito da capital Jackson Lago e dos ex-deputados Wagner e Bete Lago.
  • Jorge Pavão – Ex-deputado estadual e marido de Helena Pavão, ex-prefeita de Santa Helena
  • Raimundo Oliveira – Tio do senador Roberto Rocha e do ex-prefeito de Balsas Luiz Rocha Filho
  • Álvaro César Ferreira – Irmão do prefeito de Barreirinhas, Albérico Filho, e primo a ex-governadora Roseana Sarney e do deputado Sarney Filho (ministro do Meio Ambiente).
  • Washington Oliveira – Ex-deputado federal e ex-vice-governador do Estado.
  • José Caldas Furtado – Único concursado, mas parente de políticos em Brejo.
  • Fonte: Blog do Aquiles Emir
Núbia Dutra.
A secretária de Administração e Finanças em Paço do Lumiar, Núbia Dutra, sofreu uma tentativa de homicídio, no final da tarde desta sexta-feira (28) no Sítio Grande. O prefeito Domingos Dutra estava concedendo entrevista ao Programa Ponto Continuando, da rádio Mais FM, quando recebeu a notícia.
A primeira-dama Núbia foi atingida por dois tiros. Uma bala está alojada no ombro e outra na mão. A secretária foi encaminhada para o Hospital São Domingos e não corre perigo.
O secretário Jefferson Portela informou ao titular do Blog que as forças de segurança foram mobilizadas para apurar o caso.
Do Blog do Clodoaldo Corrêa.
Um jovem identificado como Whalisson de Aguiar Silva, de 19 anos, foi encontrado enforcado por uma corda em uma árvore nesta sexta-feira (28) no bairro da Maçaranduba, em Coroatá.
Naldinho, como era conhecido, foi visto pela última vez às 22h00 do dia anterior, pedindo dinheiro, aparentemente por conta de uma dívida, segundo o relato de familiares. O rapaz era usuário de drogas.
Do Blog Coroatá Online.

Em entrevista exclusiva à jornalista Jacieny Dias, a mãe do empresário Lucas Porto, a professora universitária Heliene Porto, mudou a versão do próprio filho que confessou o estupro e morte da cunhada Mariana Costa. Os crimes aconteceram em novembro de 2016, na residência da vítima. Ela morreu por asfixia.

Heliene Porto diz que o filho faz falta na família, fala das visitas que faz  ao filho, e esquenta a entrevista quando afirma que houve adultério e não estupro. Confira abaixo a entrevista.

Do  Blog do Luis Cardoso

A loja Armazém Paraíba terá que indenizar uma mulher que teve o nome incluído, indevidamente, nos órgãos de proteção ao crédito. A decisão é da 1° Vara de Buriticupu e a ação foi movida por M. S. A., que teve o nome negativado junto ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e SERASA.
A mulher alega, em síntese, que teve seu nome negativado junto aos órgãos de proteção ao crédito pela empresa requerida, mas afirma que a negativação é ilegal, eis que jamais efetuou qualquer compra na empresa requerida localizada na cidade de Bacabal. A sentença foi publicada no Diário da Justiça Eletrônico nesta quarta-feira (26).
A autora relata que tomou conhecimento de que havia restrição ao crédito em seu nome junto a empresa requerida quando tentou efetuar uma compra financiada no comércio local. A parte requerida foi revel no processo. “Conforme se verifica às folhas, a parte requerida foi devidamente citada e intimada para a audiência então designada nos autos, não compareceu e nem juntou não contestou a presente demanda, nem juntou qualquer documento capaz de justificar a contratação impugnada nos autos, de forma a elidir sua responsabilidade (…) A falta de contestação faz presumir verdadeiros os fatos alegados pelo autor, desde que se trate de direito disponível”, diz a sentença.
O Judiciário entende que, no caso de revelia do réu, existe a presunção legal de veracidade dos fatos alegados, de maneira que o juiz não deve determinar de ofício a realização de prova, a menos que seja absolutamente necessário para que profira sentença. No mérito, o caso é de procedência, em parte dos pedidos autorais. “Com efeito, verifico que assiste razão, em parte, à parte requerente, tendo em vista que conforme se vê da documentação acostada com a inicial a parte autora que teve seu nome negativado indevidamente sem haver qualquer vínculo contratual com a empresa requerida. Ora, tratando-se as partes litigantes de fornecedora de serviços e consumidor, incidem as regras do Código de Defesa do Consumidor”, escreveu o juiz.
Para a Justiça, o simples fato de a loja requerida ter negativado o nome da parte autora de forma indevida, já é suficiente para atingir sua esfera íntima, causando-lhe danos em seu patrimônio imaterial, em sua personalidade. “A inclusão do nome de devedores em órgão de proteção ao crédito é um direito dos credores, mas não é absoluto, deve ser auferido com a cautela inerente ao caso, já que se for considerado indevido, materializado estará o dano moral”, versa a sentença judicial.
Segue o Judiciário: “Assim sendo, restou configurado que a parte autora sofreu danos morais, ante a negativação indevida. Estes restam cabalmente demonstrados nos autos. Entendidos como prática atentatória aos direitos da personalidade, os danos morais se traduzem num sentimento de pesar íntimo da pessoa ofendida, capaz de gerar-lhe alterações psíquicas ou prejuízos à parte social ou afetiva de seu patrimônio moral. Não há dúvida que houve violação ao patrimônio imaterial do Requerente, causando-lhe sofrimento, angústia e dor produzida pelo ato ilícito, o que lhe permite a reparação”.
“Julgo procedente, em parte, os pedidos do requerente, para declarar a inexistência da relação jurídica entre as partes e condenar a empresa requerida ao pagamento da quantia de R$ 1.200,00 (mil e duzentos reais) como forma de compensação pelos danos morais sofridos pela parte autora, tudo acrescido de juros moratórios a partir do evento danoso (…) Oficie-se ao SPC/SERASA para que providencie a retirada da restrição existente em relação ao nome da parte autora, no prazo de 05 (cinco) dias, instruindo com cópia da presente sentença”, concluiu a Justiça.

Fonte: Neto Ferreira

1 2 3 4 22
https://api.clevernt.com/0afa428e-0adf-11ea-8f8b-2a8506f909e7/