Monthly Archives: novembro, 2017

Podemos ter um Natal solitário se pensarmos apenas em nós próprios, se formos egoístas. No entanto se trocarmos o “T” do ter pelo “D” de doar, abraçando quem está precisando de ajuda e atenção, teremos um Natal alegre, abençoado, inesquecível. Um coração que abraça um irmão carente, um coração generoso, um coração que troca um Natal solitário por um Natal Solidário. É com este pensamento que iremos realizar uma festa no próximo dia 7 de dezembro de 2017. A festa foi uma maneira encontrada para realizarmos o NATAL SOLIDÁRIO 2017, ela tem como objetivo adquirir alimentos para doarmos as famílias  carentes do nosso Município.

Será cobrado dois quilos de alimentos não perecíveis de cada pessoa, nesse dia será feito um concurso da garota e garoto estudantil 2017. Venha participe !

ATENÇÃO! Ás inscrições irão até dia 6. Os participantes devem deixar suas fichas até ás 17h do dia 06 de Dezembro na sede do Blog que fica localizado no loteamento JL Dantas, vale lembrar que é preciso baixar o regulamento e a ficha de inscrição, os documentos estão no Blog do Maciel Silva

Indenização foi fixada em R$ 90 mil para cada um dos pais de Marcelo Dino, que morreu aos 13 anos em 2012. Hospital vai recorrer

O Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT) condenou o Hospital Santa Lúcia a indenizar o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB-MA), e a ex-esposa dele, Deane Fonseca, pela morte do filho do casal, Marcelo Dino, em fevereiro de 2012. A indenização foi fixada em R$ 90 mil para cada um dos pais, com correção monetária e juros de 1% ao mês a partir da data do óbito. A decisão é de primeira instância e cabe recurso.

Marcelo Dino morreu aos 13 anos, na manhã de 14 de fevereiro de 2012, após uma sequência de crises asmáticas. No dia anterior, ele havia sido levado ao Hospital Santa Lúcia pela mãe, professora da Universidade de Brasília (UnB), para tratar da primeira crise. Em menos de 24 horas, no entanto, o quadro se agravou e ele não resistiu. Em nota, o Santa Lúcia diz que vai recorrer da decisão de primeira instância.

Os pais então entraram com uma ação judicial contra o hospital alegando uma série de erros que teriam sido cometidos por profissionais da unidade durante o atendimento. Entre os problemas citados pelos autores, estavam imperícia na administração de remédios, demora no atendimento, realização de procedimentos inadequados e falta de médicos especialistas.

Em contestação, o Hospital Santa Lúcia afirmou que Marcelo já possuía doença grave preexistente – asma – e não tinha acompanhamento médico. A instituição ainda atribuiu a morte do paciente ao estado de saúde anterior dele, negou a possibilidade de erro médico e afirmou que o clínico responsável pelo atendimento do adolescente era um profissional liberal e não tinha vínculo empregatício com o hospital.

Durante os quase seis anos que a ação tramitou na 22ª Vara Cível de Brasília, foram produzidos diversos laudos para atestar a causa da morte de Marcelo Dino. Baseada no material e nos depoimentos colhidos, a juíza substituta Clarissa Menezes Vaz Masili entendeu que o hospital teve responsabilidade, mas que a falta de tratamento prévio para asma também contribuiu para a morte do jovem. Por isso, julgou parcialmente procedente o pedido dos autores.

“Verifico, assim, ter havido três concausas concorrentes (broncoaspiração, atraso no uso do medicamento e falha no tratamento prévio), já que, embora não se possa asseverar que, isoladamente, a conduta de cada uma das partes seria capaz de gerar os danos ao paciente, somadas foram necessárias e suficientes para o desfecho lesivo”, afirma a magistrada na sentença.

Ainda de acordo com a juíza, “no tocante ao prejuízo extrapatrimonial, a gravidade da consequência dos fatos, isto é, o falecimento de um filho torna inequívoco o prejuízo ao bem-estar físico e psíquico dos genitores, o que, em razão da violação aos seus direitos da personalidade, configura o dano indenizável”.

Além da indenização de R$ 90 mil a cada um dos pais, a juíza condenou o Hospital Santa Lúcia a arcar com os custos do processo e os honorários dos advogados. Nas redes sociais, o governador do Maranhão Flávio Dino afirmou que a Justiça “reconheceu os erros do hospital” e que pretende doar a indenização.

Ação penal
Além da ação cível movida contra o Hospital Santa Lúcia, o governador Flávio Dino e Deane Fonseca ajuizaram uma ação penal privada contra Izaura Costa Rodrigues Emídio e Luzia Cristina dos Santos Rocha, respectivamente, a médica e a enfermeira que atenderam Marcelo Dino em 2012. O casal pede a condenação das profissionais por homicídio culposo.

Após a morte, os pais registraram ocorrência, mas o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e o TJDFT se manifestaram pelo arquivamento do processo. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) também teve o mesmo entendimento e Flávio Dino levou o caso ao Supremo Tribunal Federal (STF), que reconheceu a inércia do MPDFT no caso e determinou a reabertura do processo. A ação ainda tramita na 2ª Vara Criminal de Brasília.

Por volta das 20h40 desta segunda-feira (27), os Policiais Militares de serviço na UTC (Unidade Tática das Cidades) de Chapadinha efetuaram a prisão de Jackson Rodrigues da Silva, 30 anos de idade, que, segundo relato de familiares, o mesmo adentrou de forma sorrateira em uma residência e foi encontrado sem roupas tentando violentar uma menor de seis anos de idade, o acusado foi contido por um dos familiares da criança até a chegada dos Policiais Militares, que efetuaram a prisão do acusado.
O acusado foi conduzido e entregue no plantão central da delegacia de Polícia Civil de Chapadinha – MA, para conhecimento e as providências que o caso requer.
Do Blog do 16º Batalhão.
Prefeito Joaquim Umbelino teve seus bens bloqueados pela Justiça. (Foto: Flora Dolores/O Estado)

Ao todo, são nove investigados entre pessoas e empresas, por supostas irregularidades nos processos licitatórios em Turiaçu.

Prefeito Joaquim Umbelino teve seus bens bloqueados pela Justiça. (Foto: Flora Dolores/O Estado)

Prefeito Joaquim Umbelino teve seus bens bloqueados pela Justiça. (Foto: Flora Dolores/O Estado).

Joaquim Umbelino Ribeiro, prefeito de Turiaçu, distante de São Luís 155 km, teve seus imóveis e veículos bloqueados pela juíza Urbanete de Angiolis Silva. Outras oito pessoas, entre jurídicas e físicas, estão com suas contas bancárias bloqueadas até nova decisão judicial.

O pedido foi do Ministério Público e a Justiça acatou por conta da possível condenação dos acusados em uma ação de danos aos cofres públicos. Assim, os cartórios de Registros de Imóveis de Turiaçu e de São Luís e a Junta Comercial do Estado devem informar em 72 horas tudo que está no nome dos citados e bloquear imediatamente.

Além do prefeito, respondem também pelo crime Raoni Cutrim Costa, Josué de Jesus França Viegas e as empresas “F. de Sousa Melo – ME”, “Maria Leda de Jesus Souza – ME”, “Culp Construções e Serviços EIRELI, “Líder Construções e Serviços EIRELI”; “V. F. Rabelo Filho Construções Ltda – ME” e “EPG Comércio EIRELI”.

Cada um teve um valor bloqueado, sendo considerada a participação no prejuízo ao erário. O prefeito Joaquim Ribeiro teve R$ 5.230.911,24 bloqueados; Raoni Cutrim Costa teve R$ 3.011.468,60 bloqueados; Josué de Jesus França Viegas teve R$ 2.219.442,64 bloqueados. As empresas envolvidas também estão nesta mesma situação. A Justiça bloqueou R$ 1.141.872,00 da Culp Construções e Serviços EIRELI; R$ 588.951,01 da Líder Construções e Serviços EIRELI; R$ 488.619,63 da V. F. Rabelo Filho Construções; R$ 1.218.239,00 da Maria Leda de Jesus Souza – ME; R$ 1.471.338,08 da Empresa EPG Comércio EIRELI e R$ 321.891,52 da F. de Sousa Melo – ME.

O Ministério Público diz que com base nas informações Ministério Público de Contas do Maranhão, as empresas envolvidas seriam de fachada pelo fato de “não possuiriam existência comprovada e que, de acordo com as informações da Controladoria-Geral da União, não possuiriam funcionários declarados no Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (CAGED), nem no Cadastro Nacional de Informações Sociais (CNIS)”.

As empresas e as pessoas citadas são investigadas em supostas irregularidades nos processos licitatórios em Turiaçu.
“Há, portanto, no pedido inicial a clara individualização da conduta ímproba, supostamente praticada por cada um dos demandados, bem como o valor do dano causado ao erário, o que rende ensejo ao deferimento do pedido”, disse a juíza em seu despacho.

G1 MA

Rumores de que Robert Serejo, assassino da menina Alanna Ludmilla, de dez anos, teria sido encontrado morto no Complexo Penitenciário São Luís foram desmentidos pela Polícia. A Delegada do Departamento de Feminicídio, Viviane Azambuja, informou que o criminoso segue isolado em Pedrinhas, e que as informações divulgadas nas redes sociais não passam de boatos.
Já são mais de três semanas desde o crime que chocou o Maranhão. Alanna foi estuprada, morta e enterrada no quintal da casa onde vivia com a mãe e o irmão, no Maiobão, pelo ex-padrasto, Robert Serejo. O homem foi capturado quatro dias após ter cometido o crime, tentando sair da capital. De acordo com a Delegada responsável pelo caso, o inquérito policial deve ser concluído até o fim do mês.
De O Imparcial.

Policiais da Senarc (Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico)  apreenderam hoje uma tonelada de maconha prensada, guardada em uma casa no Conjunto Novo Horizonte, em Paço do Lumiar. A droga foi avaliada em R$ 1,5 milhão.

A maconha prensada teria vindo de outro estado para o Maranhão e estava em poder dos traficantes Hemerson Fabiano Carvalho Moreira e Nilton Correa Oliveira.

A dupla foi apresentada hoje na sede da Senarc e depois recambiada para o sistema prisional em Pedrinhas.

No próximo sábado acontece a Convenção do PDT em São Luís. Será pela manhã, a partir de 8:30, na Batuque Brasil. Além de eleger os Diretórios Municipal e Estadual, que conduzirão o partido nas eleições de 2018, o evento também será um ato político de enorme peso, com a presença do pré-candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes, bancada federal, Carlos Lupi, que presidente nacional do PDT e representantes de vários partidos que devem reafirmar apoio à pré-candidatura de Weverton Rocha ao Senado.

Repórter ficou irritado (Foto: Reprodução)

A Globo foi surpreendida durante um link ao vivo no Jornal Hoje deste sábado, durante um link ao vivo em Brasília, quando a pauta era o estado de saúde do presidente Michel Temer. O repórter começou a falar e acabou sendo interrompido por um homem revoltado.

De óculos escuros e um xingamento estampado em sua camiseta, ele gritava “Globo lixo” e o jornalista acabou ficando desconcertado no ar. Ele se virou para trás com olhar de desprezo e limitou-se a dizer: “Só um minutinho, eu vou esperar. Peço desculpa a todos…”.

 

O link foi então interrompido e, do estúdio, o âncora também reprovou a atitude do rapaz: “Bom…, Nós tivemos um problema. E você vê que nem todo mundo é capaz de compreender as coisas como devem ser, e que existem outras maneiras de mostrar a própria opinião”.

Confira o vídeo:

Nas redes sociais, o momento deu muito o que falar. “Eu tô berrando com o cara gritando “globo lixo” no meio da reportagem”, ironizou um internauta. “O cara que gritou globo lixo era pra ter pego o embalo do momento e ter gritado “fora temer”. Nota 9″, comentou outro.

“Dois minutos que o cara gritou GLOBO LIXO e a internet já tá explodindo”, brincou uma usuária do Twitter. Você concorda com a atitude? Vale lembrar que essa não é a primeira vez que isso acontece na emissora, e os links ao vivo sempre são os momentos preferidos dos manifestantes.

A Prefeitura de Peritoró-MA, através da SEMUS realizou o mutirão do Glaucoma em parceria com o governo do Estado. O mutirão aconteceu no Centro de Saúde e foram ofertados exames de medição da pressão dos olhos e avaliação do fundo de olho com o oftalmologista do Estado.

Com a promoção de consultas e exames, o objetivo do ‘mutirão do glaucoma’ é realizar o diagnóstico precoce e encaminhar o paciente para o tratamento adequado. Em média foram atendidos mais de cem  pessoas, dentre eles, pouco mais de 50 pacientes foram diagnosticados com glaucoma e receberam o colírio gratuitamente para tratamento.

“Com esse trabalho, a prefeitura está cuidando da nossa saúde, em uma especialidade que exige atenção, principalmente nesta faixa etária da terceira idade.”  relatou uma paciente.

O glaucoma é uma doença silenciosa, sem exame, não há diagnóstico é importante ir regularmente ao oftalmologista, única forma de diagnóstico.

Para o prefeito Pe. Jozias, a realização de atividades como o Mutirão do Glaucoma é importante para ampliar o acesso de centenas de pessoas ao diagnóstico preciso e tratamento da doença. E, também  identificar outras doenças como a catarata, que é muito comum, e possibilitando o encaminhamento desses pacientes a um tratamento eficiente. 

1 2 3 4 15
https://api.clevernt.com/0afa428e-0adf-11ea-8f8b-2a8506f909e7/