Monthly Archives: fevereiro, 2020

Em nota, o Hospital São Domingos negou a existência de pacientes com Coronavírus nas suas dependências, mas deixou claro que existem casos de H1N1, gripe forte que mata pessoas, sendo que tem tratamento adequado. A gripe N1H1 ficou mais conhecida há 20 anos quando o vírus provocou a morte de 2 mil pessoas no Brasil.

A Secretaria de Estado da Saúde ficou de fazer hoje pela manhã, sábado (29) uma visita e fiscalizar para saber a existência ou não dos fortes comentários de que um casal de italianos estaria internado no Hospital São Domingos e ainda não deu a resposta.

Abaixo a nota do hospital:

Do Blog do Luís Cardoso

Paredão Mega Pânico arrastou multidão no carnaval de Peritoró, Codó, e no lava pratos de Pedreiras-MA.

Paredão no arrastão do Pote, em Peritoró

Sábado, 22 de fevereiro, o Mega Pânico, puxou o bloco os lisos, na terça-feira, 25 de fevereiro, puxou o arrastão da turma do Pote, em Peritoró, no domingo e na segunda-feira de carnaval, o Paredão peritoroense esteve na cidade de Codó, puxando os blocos Cabaré sem Dono, SBR, bloco do Vereda e os sem-vergonha. Na sexta-feira, 28, de fevereiro, o Mega Pânico animou o lava pratos de Pedreiras.

João Pedro e Victo Hugo juntamente com sua equipe, comanda o Mega Pânico. Acácio Som e Calango Sound, são responsável  pela parte técnica. 

Veja as fotos 

Imagens mostram a vítima tentando fugir 

As imagens de um homicídio registrado na última quarta-feira (26), na cidade de Timbiras-MA, foram divulgadas em grupos na internet e mostram o momento em que a vítima, identificada como Evanilson Alencar da Cunha, de 21 anos, foi perseguida por um grupo de quatro homens e depois acabou esfaqueada.

Evanilson conseguiu fugir e ainda foi socorrido com vida, mas não resistiu aos ferimentos.

Assim que tomou conhecimento do caso, e diante das imagens, a polícia realizou buscas na tentativa de prender os envolvidos, mas ninguém foi preso. Segundo as investigações, o crime pode ter sido motivado por rixas.

Confira o vídeo:

Do Coroatá Online

 

O Governo do Maranhão monitora dois casos suspeitos de coronavírus no estado. Os casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

Segundo o governo do MA, os pacientes receberam os primeiros atendimentos e já coletaram amostras que serão examinadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Maranhão (LACEN-MA) e posteriormente encaminhados para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Pará.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) afirmou ainda que está adotando as medidas previstas no Plano de Contingência para o COVID-19 no Maranhão, elaborado em conformidade com o Plano de Contingência Nacional e Gestão de Riscos.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, explicou que o governo do Maranhão está preparado e com protocolos de atendimentos definidos para lidar com os casos suspeitos da doença.

“O plano de contingência foi elaborado para responder às necessidades locais para minimizar o avanço da doença, caso haja introdução do vírus no estado. As ações definidas pelo plano orientam os serviços de saúde da rede estadual, que está preparada para o atendimento e em conformidade com as diretrizes nacionais propostas pela Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde”, destaca o secretário.

Os resultados iniciais das amostras coletas pelo Lacen saem em até uma semana. Um dos casos foi identificado pela Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais. A paciente, vinda da Itália, apresentou comprometimento respiratório com sintomas como febre alta, tosse e cansaço progressivo.

A paciente encontra-se em isolamento na UPA e, por conta da necessidade de internação devido ao quadro clínico, aguarda transferência para o Hospital Dr. Carlos Macieira, uma das unidades de saúde de referência para o atendimento a casos suspeitos no Maranhão.

Outro caso

Classificado como leve, até o momento, o outro caso foi identificado na UPA do Itaqui-Bacanga, em jovem que relatou ter passado por países como China, França e Japão, onde foram identificados casos da doença. A paciente chegou em São Luís há quatro dias e apresenta sintomas como dispneia e tosse seca. Por não apresentar quadro clínico com necessidade de internação, a paciente permanecerá em isolamento na unidade de pronto atendimento.

Do G1 Maranhão

Blog do Ricardo Marques – As declarações do presidente da ‘Escola Malucos por Samba’, Cayo Cruz, aniquilam a versão oficial que tenta passar a ideia de sucesso para o carnaval 2020 de Caxias. Em ‘nota de repúdio’ publicada, Cayo extravasa os efeitos da frustração que ele e demais carnavalescos e brincantes tiveram na terça-feira (25), quando o tradicional desfile de blocos e escolas de samba foi realizado aos trancos e barrancos – e graças a determinação do pessoal dessas agremiações.

Cayo conta que o desrespeito do poder público para com a tradição carnavalesca foi gritante. Não havia segurança; não havia ambulância; não havia sistema de som… sequer um microfone havia.

Diferente de outros carnavais, quando o desfile de blocos e escolas de samba era realizado na Praça do Pantheon, este ano alguém com ideia de jerico resolveu “inovar”, deslocando o desfile para a apertada rua Dr. Berredo – e limitado a um único dia de apresentação. Foi o ó!

O desabafo de Cayo Cruz é forte e pertinente. Ele próprio lembra em seu texto que o desfile de blocos e escolas de samba está próximo de completar 100 anos de tradição – merece respeito, pelo tempo e pela importância no contexto sociocultural do Reinado de Momo.

O fato é que o carnaval de Caxias deixou a desejar. Que se tragam essas bandas ultrapassadas – as que estão no auge não saem da Bahia durante a festa momesca por dinheiro nenhum –, pois o povão gosta da bagaceira. Mas abrir mão do desfile de blocos e escolas de samba é atentar contra a própria tradição carnavalesca. Lamentável!

Veja a nota na íntegra:

Nota de Repúdio: Carnaval para quem?

Queridos amigos, amigas e demais conterrâneos, venho, por meio desta nota, expor o tratamento degradante que o carnaval tradicional de Caxias, uma tradição quase centenária de nossa cidade, vem recebendo sistematicamente da Secretaria de Cultura, órgão que, em tese, deveria ser um dos seus principais entusiastas e instrumentos de salvaguarda. Não relatarei todos os pormenores e percalços para que esse texto não fique muito longo e cansativo, como são, geralmente, os processos para recebermos qualquer pagamento por serviço prestado ao órgão supracitado.

Minha indignação é fruto da última terça-feira (25), data escolhida para o tradicional desfile de Escolas e Blocos de Caxias, que ocorreu na rua Dr. Berredo, no centro. A confusão teve início com os horários passados pelo Poder municipal, como podem observar, em anexo, alguns banners e páginas oficiais informavam que nossa concentração iniciava às 15 horas; e outros, às 19 horas, mesmo se tendo acordado em reunião que o início seria às 17 horas, e, para aumentar o cipoal que a gente não quer, dias antes do desfile, alguns dirigentes de agremiações afirmaram que a concentração iniciaria às 16 horas- “ordens” do secretário! – concluíam.

Chegamos ao local da concentração enfrentando forte chuva e toda a má sorte que uma cidade, e um país, sem infraestrutura, pode oferecer. Nos protegemos debaixo de árvores e sobrados enquanto, dos postes ao nosso entorno, brotavam faíscas e chamas, as ruas estavam isoladas e com placas de sinalização, porém, não havia um guarda municipal, uma viatura da PM, SAMU, Corpo de Bombeiros ou alguém representando o órgão responsável pela organização do evento, a própria Secretaria de Cultura. Talvez tivessem saído para se proteger da chuva e acabaram levando os banheiros juntos, pois estes também não existiam. E é sabido que o tipo de carnaval que fazemos atrai principalmente crianças e idosos – você consegue pensar o quanto é DESUMANO submeter crianças e idosos a ter que fazer qualquer necessidade no meio da rua? Um dos nossos brincantes quase foi acertado por um galho enquanto atendia aos chamados da natureza debaixo de uma árvore, o que poderia ter lhe custado a vida. Sim, a incúria custa vidas, muitas vidas. O que me leva a pensar: será se o tratamento que nossos gestores oferecem ao povo é o mesmo que eles receberam dos seus pais e/ou dispensam aos seus filhos?

Com muita bravura enfrentamos a chuva e fomos mostrar nosso trabalho, pois nos dedicamos muito para deixar as coisas do jeito que queríamos. Foram meses de trabalho duro e de ensaios exaustivos, e, no fim, muitas crianças estavam tocando um instrumento musical pela primeira vez – pense numa cena linda e emocionante! Estávamos muito ansiosos e confiantes no trabalho que queríamos mostrar, sim, queríamos muito, mas não mostramos, faltou o principal: cantar nosso samba-enredo. NÃO HAVIA SEQUER UM MICROFONE PARA AS ESCOLAS E BLOCOS CANTAREM O SEU SAMBA E NINGUÉM PARA ANUNCIAR A ENTRADA DOS MESMOS NA PASSARELA. Os expectadores presenciaram blocos e Escolas passarem continuamente sem, contudo, saber das suas propostas, seus temas, suas histórias e sua importância, não somente para o Carnaval, mas para a História de Caxias. A tradição da batucada, dos blocos e escolas de samba na nossa cidade não foi invenção dos políticos, foi criada pelo povo, é uma das suas obras mais genuínas e, em breve, completará 100 ANOS DE EXISTÊNCIA, é um absurdo que sejamos silenciados e invisibilizados dessa forma.

O absurdo se torna maior quando pensamos que havia uma estrutura de som montada na passarela, porém, a equipe responsável pelo equipamento não foi informada sobre o desfile das agremiações e, por isso, não disponibilizaram os recursos necessários para os blocos e escolas mostrarem seu trabalho. Pois é, estava (quase) tudo lá: o som, o microfone, os blocos, as escolas e os expectadores, mas faltou o principal: organização, compromisso, e, sobretudo, RESPEITO. Expresso aqui a minha indignação e peço aos amigos, amigas e demais conterrâneos que compartilhem essa nota até chegar às autoridades competentes. Nossa cultura é maior que isso!.

O empresário Wesley Cardoso Silva Portela, 34 anos, proprietário do Mercadinho Dallas e restaurante Dallas, foi executado com tiros de pistola e espingarda na noite desta quinta-feira (27) na rua Dr. Antônio Joaquim Araújo, Conjunto Dallas, em Codó, interior do Maranhão.
De acordo com informações da equipe médica de plantão do Hospital Geral Municipal (HGM), Wesley foi atingido com vários tiros de pistola no rosto e nas costas e dois tiros de espingarda.
Testemunhas relataram que o empresário foi morto por homens que andavam em um carro. Os criminosos fugiram e ainda não foram identificados. O caso está sendo investigado pela 4° Delegacia Regional de Polícia Civil de Codó.
Com informações do Marcos Silva

Wanderson dos Santos e Vitória Oliveira dos Santos, foram vítimas de assalto na cidade de Timom-MA.

Wanderson dos Santos e Vitória Oliveira dos Santos

O casal de irmãos, são da cidade de Sorriso-MT, vieram para Timom-MA, com a promessa de trabalho, mais eles foram enganados, e o pouco de dinheiro que eles tinham, foi levado por ladrões no dia 25 de dezembro de 2019.

Segundo informações passadas a este blog, os irmãos pretende voltar para sua cidade, porém, estão sem recurso financeiro, eles estão pedido ajuda para pagar suas dispensas de viagem.

Wanderson dos Santos e Vitória Oliveira dos Santos, vieram de carona para Codó, e depois vieram a pé para Peritoró-MA, com esperanças de conseguir ajuda, tendo em vista que a cidade  é um entrocamento, isso facilitaria, na visão deles. Eles estão no Bairro São José, na casa do DJ Preto. Quem quiser ajudar entre em contato através do número: 99991262724

 

Sempre presente junto ao povo, o pré-candidato a prefeito de Peritoró-MA, Dr. Júnior, participou do arrastão da  Turma do Pote.   

 

Dr. Júnior e esposa no meio do povo

Turma do Pote, o bloco carnavalesco mais antigo de Peritoró-MA, realizou na terça-feira, 25 de fevereiro, um mega arrastão.

 

O arrastão, saiu às 17h da rua da palmeira e percorreu a rua sete de setembro, centro comercial Filipinho, finalizando na rua da mangueira. Paredão mega Pânico, puxou os foliões.

Já é  tradição no Carnaval de Peritoró-MA. Todos os anos, a terça-feira  de Carnaval é dedicado ao arrastão do Bloco da Turma do Pote. O bloco em que homens mulheres sentem-se à vontade para usar a criatividade e construir fantasias toma conta das ruas do centro da cidade.

Um dos pontos principais da festa é justamente a criatividade dos foliões na construção das fantasias. Na terça-feira (25), não foi diferente. Na festa que reuniu grande público, teve espaço para muitos personagens que garantiram a alegria na festa. As fantasias de casais e as plaquinhas com frases divertidas foram as grandes apostas dos foliões.

É com muita alegria que participo desse tradicional arrastão, esse é  o bloco que reúne todos os foliões, é um dos pontos mais  alto do carnaval peritoroense, externou Dr. Júnior.

Dr. Júnior e família

Dr. Agamenon, Dra. Samira, Luís da Amovelar, Cristiane do Agamenon,  Careca, ex-vereador, participaram do arrastão.

Veja fotos do evento

1 2 3 11
https://api.clevernt.com/0afa428e-0adf-11ea-8f8b-2a8506f909e7/