O presidente Jair Bolsonaro voltou a ameaçar a democracia B em discurso aos manifestantes na Esplanada dos Ministérios e, sem citar o presidente do STF, Luiz Fux, pediu para que o ministro enquadre um dos seus, em referência a Alexandre de Moraes.

Sem citar nominalmente Alexandre de Moraes, Bolsonaro disse que uma autoridade está “barbarizando” a população e determinando prisões políticas.

O presidente defendeu que, se o presidente do STF não “enquadrar” o colega, a Corte “pode sofrer aquilo que nós não queremos”.

“Nós não aceitaremos que qualquer autoridade, usando a força do poder, passe por cima da nossa Constituição. Não mais aceitaremos qualquer medida, qualquer ação, que venha de fora das quatro linhas da Constituição. Nós também não podemos continuar aceitando que uma pessoa específica da região dos Três Poderes continue barbarizando a nossa população. Não podemos aceitar mais prisões políticas no nosso Brasil. Ou o chefe desse Poder enquadra esse seu, ou esse Poder pode sofrer aquilo que nós não queremos. Reconhecemos o valor de cada Poder. Nós, aqui na Praça dos Três Poderes, juramos respeito à Constituição. Quem age fora dela se enquadra ou pede para sair.”

O Antagonista