Connect with us
Hora

Notícia Geral

Bolsonaro diz que fará um governo defensor da Constituição, da democracia e da liberdade’

Publicado

em

G1O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro (PSL), afirmou neste domingo (28), ao ler o discurso da vitória na porta da casa dele, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, que o novo governo será um “defensor da Constituição, da democracia e da liberdade”.
Jair Bolsonaro derrotou Fernando Haddad (PT) no segundo turno e tomará posse como presidente da República em 1º de janeiro de 2019. De acordo com a apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com 96,27% das urnas apuradas, ele havia recebido 56,1 milhões de votos (55,49%).
“Faço de vocês minhas testemunhas de que esse governo será um defensor da Constituição, da democracia e da liberdade. Isso é uma promessa, não de um partido, não é a palavra vã de um homem, é um juramento a Deus”, afirmou.
Bolsonaro afirmou no discurso que assumiu o compromisso de fazer um “governo decente”, formado por pessoas com o propósito de transformar o Brasil em uma “grande, próspera, livre e grande nação”.
Bolsonaro declarou que a “liberdade é um princípio fundamental” e citou como exemplos a liberdade de ir e vir, político e religiosa, de informar e de ter opinião e de fazer escolhas.
“Como defensor da liberdade, vou guiar um governo que defenda e proteja os direitos do cidadão que cumpre seus deveres e respeita a leis. Elas são para todos porque assim será o nosso governo: constitucional e democrático”, declarou o presidente eleito.
O presidente eleito declarou que a futura administração precisa criar condições para “que todos cresçam”. Segundo ele, o governo federal vai reduzir estrutura e burocracia e cortará “desperdícios e privilégios”.
“Nosso governo vai quebrar paradigmas, vamos confiar nas pessoas, vamos desburocratizar, simplificar e permitir que o cidadão, o empreendedor, tenha mais liberdade e construir o seu futuro. Vamos desamarrar o Brasil”, declarou.
Bolsonaro declarou que seu governo “respeitará de verdade a federação”, garantindo que os recursos federais cheguem aos estados e municípios. “Precisamos de mais Brasil e menos Brasília”, disse.
Ele reafirmou a defesa do direito de propriedade e destacou a intenção de realizar de reformas, mas não disse no discurso quais seriam.
O presidente eleito declarou que seu governo quebrará o “ciclo vicioso do crescimento da dívida” para estimular investimentos e gerar empregos.
“Emprego, renda e equilíbrio fiscal é o nosso compromisso para ficarmos mais próximos de oportunidades e trabalho para todos”, afirmou.
No discurso, Bolsonaro ainda agradeceu às equipes da Santa Casa de Juiz de Fora (MG) e do hospital Albert Einstein, de São Paulo, locais pelos quais passou após o atentado no qual recebeu uma facada em setembro, durante ato de campanha.
Bolsonaro disse que os jovens do país vivem um período de estagnação econômica e prometeu que isso mudará, já que, afirmoum governará “com os olhos nas futuras gerações, e não na próxima eleição”.
Sobre as relações com outros países, disse que libertará o “Brasil e o Itamaraty” – o presidente eleito é crítico do apoio dos governos petistas a países como Venezuela e Cuba. Ele ainda defendeu buscar relações bilaterais com países que agreguem valor econômico e tecnológico aos produtos brasileiros.
“Libertaremos o Brasil e o Itamaraty das relações internacionais com viés ideológico a que foram submetidos nos últimos anos. O Brasil deixará de estar apartado das nações mais desenvolvidas”, declarou.
Questionado após a leitura do discurso sobre a divisão do Brasil, Bolsonaro disse que trabalhará para “pacificar o Brasil”.
“Não sou Caxias [Duque de Caxias], mas sigo o exemplo desse grande herói brasileiro. Vamos pacificar o Brasil e, sob a Constituição e as leis, vamos constituir uma grande nação”, declarou.
Sobre a montagem do futuro governo, o presidente eleito afirmou que três nomes estão acertados – em entrevistas anteriores, Bolsonaro havia declarado que Onyx Lorenzoni será o ministro da Casa Civil, Paulo Guedes o ministro da Fazenda e o general Augusto Heleno, ministro da Defesa.
O presidente eleito ainda disse que “está quase certo” que o Marcos Pontes, o primeiro astronauta brasileiro a ir para o espaço, fará parte do governo.
Bolsonaro não citou qual seria o cargo ocupado por Pontes, cotado nos bastidores para assumir um ministério na área de ciência e tecnologia. Os demais integrantes do governo será anunciado “com muita cautela”, segundo o presidente eleito
Continuar Lendo

Notícia Geral

Em Codó, realizada abertura da Semana Nacional do Trânsito

A SNT 2021 traz o tema das Campanhas Educativas para este ano: “No trânsito, sua responsabilidade, salva vidas”.

Publicado

em

Por

Com uma blitz educativa pelas principais avenidas de Codó para trazer a importância da conscientização educativa no trânsito, foi realizada na tarde desta segunda-feira (20), a abertura da Semana Nacional do Trânsito em Codó que contou com a participação da prefeitura de Codó em parceria com o TG 08/007, 17° BPM, Guarda Municipal e DMTRANS do município.

A Semana Nacional de Trânsito (SNT), conforme disposto no art. 326 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), é comemorada anualmente entre os dias 18 e 25 de setembro. Nesse período, são realizadas ações em todo o País com o objetivo de conscientizar todos os envolvidos no dia a dia do trânsito, sejam eles motoristas, passageiros, motociclistas, ciclistas ou pedestres.

A SNT 2021 traz o tema das Campanhas Educativas para este ano: “No trânsito, sua responsabilidade, salva vidas”.

ASCOM-PMC

Continuar Lendo

Notícia Geral

Vergonha: Em Nova York, Bolsonaro come na calçada por não ter tomado a vacina

As vergonhas que o Brasil passa em Nova York com a insistência de Bolsonaro não tomar a vacina contra a Covid-19.

Publicado

em

Por

O jornalista Ricardo Noblat fez uma espécie de diário para relatar as vergonhas que o Brasil vem passando em NY com a presença de Jair Bolsonaro pelas ruas da cidade.

Como se representasse o nojo, o excremento do mundo, o nosso presidente da República não pode comer na parte interna do hotel por não ter recebido ainda a vacinação contra a covid-19. Que péssimo exemplo, um cidadão de mais de 60 anos, deu ao planeta! o Jeito foi comer numa calçada um pedaço de pizza.

Quanta vergonha! Confira abaixo o que escreveu o jornalista:

Diário das vergonhas que passa o Brasil com Bolsonaro em NY

Ricardo Noblat

* Sem máscara, o presidente Jair Bolsonaro desembarca na cidade para falar em nome do Brasil na abertura da 76ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta terça-feira.

* Para não ser hostilizado por manifestantes reunidos em frente ao hotel onde ocupa uma suíte cuja diária vai de 6 mil a 10 mil reais, ele entra pela porta dos fundos.

* Por não ter se vacinado contra a Covid-19, é visto poucas horas depois comendo um pedaço de pizza na calçada de uma rua próxima ao hotel.

Segunda-feira, 20/9, de manhã

* Bolsonaro reúne-se com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na residência oficial do cônsul-geral do Reino Unido. Ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que o acompanha, o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria do Governo, havia recomendado: “Ponha o pau na mesa”.

Quis dizer: aperte Boris para que seu governo forneça mais vacinas ao Brasil. Não se sabe se Queiroga atendeu ao conselho. Sabe-se que o primeiro-ministro perguntou a Bolsonaro se ele vacinara. Bolsonaro respondeu: “Ainda não”. Em seguida, comentou: “Eu já tive Covid. Sou um homem que vivo no meio do povo”.

Boris já teve Covid, quase morreu, vacinou-se duas vezes e também vive no meio do povo. Aos jornalistas que presenciaram a cena, e indiretamente a Bolsonaro, Boris prescreve: “Vacinem-se, vacinem-se. A AstraZeneca é uma vacina excelente”. A AstraZeneca foi desenvolvida pela Universidade de Oxford.

* O prefeito de Nova York, Bill De Blasio, do Partido Democrata, divulga nota em que afirma:

“Precisamos mandar uma mensagem a todos os líderes mundiais, especialmente a Bolsonaro, do Brasil, de que se você pretende vir aqui, você precisa ser vacinado. E se você não quer ser vacinado, nem venha, porque todos devem estar seguros juntos. Isso significa que todo mundo deve estar vacinado”.

Segunda-feira, à tarde

* Como não pode frequentar locais fechados porque não usa máscara nem foi vacinado, Bolsonaro e sua comitiva almoçam isolados em um puxadinho ao ar livre especialmente montado para eles em uma churrascaria que serve carnes do Brasil.

* Um diplomata que integra a comitiva de Bolsonaro testa positivo para a Covid-19. Seu nome não foi revelado. Está isolado em um quarto de hotel até que seja submetido a outro teste. Pessoas que tiveram contato com ele estão sendo rastreadas. São cerca de 30, entre brasileiros e estrangeiros.

* O deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), o Zero Três, é vaiado quando fazia compras na Apple Store da 5ª Avenida, uma das lojas mais famosas do mundo.

Segunda-feira, à noite

* Um caminhão com três telões circula pelas ruas exibindo mensagens como “Bolsonaro is burning the Amazon” (Bolsonaro está queimando a Amazônia), “Jail Bolsonaro” (Prendam Bolsonaro), “Amazon or Bolsonaro” (Amazônia ou Bolsonaro) e “Bolsonaro, climate criminal” (Bolsonaro, criminoso climático).

* Manifestantes gritam insultos contra Bolsonaro à chegada dele para um jantar oficial na residência do embaixador do Brasil junto à ONU. Bolsonaro sorri e faz um gesto de “abafa” com a mão, como se pedisse que baixassem o tom. Usando um tambor, o grupo grita: “Bolsonaro, pode esperar, a sua hora vai chegar, genocida”.

* À saída do jantar, de dentro de uma Van, ao passar por manifestantes, o ministro da Saúde levanta do assento e faz o gesto obsceno de mostrar o dedo médio. Usa máscara.

* Dali a instantes, no hotel, Bolsonaro posta no Facebook o vídeo que gravou à saída do jantar onde diz: “Meia dúzia de acéfalos protesta contra Jair Bolsonaro para delírio de parte da imprensa brasileira”. E mais: “Esse bando nem sabe o que está falando ali. Deviam estar num país socialista, não aqui nos EUA”.

* Perto da meia-noite, o tal caminhão com três telões está há pouca distância do hotel de onde Bolsonaro, insone, dispara instruções para seus devotos no Brasil.

Fonte: blog do Luís Cardoso

Continuar Lendo

Notícia Geral

Juíza cassa chapa inteira de vereadores em Capinzal do Norte após identificação de candidaturas “laranjas”

A ação de investigação judicial eleitoral foi proposta pelo Ministério Público Eleitoral, visando apurar a prática de abuso de poder e fraude na composição da lista de candidatos às eleições proporcionais de 2020.

Publicado

em

Por

A juíza eleitoral Talita de Castro Barreto da 69ª Zona Eleitoral de Santo Antônio dos Lopes, cassou uma chapa inteira do Partido Progressista (PP) em Capinzal do Norte, após a identificação de duas candidaturas “laranjas”, que foram denunciadas em novembro de 2020. O vereador Robério Carrias, eleito pela chapa, também teve seu mandato cassado pela juíza e os votos anulados.

A punição se deu após denúncia de que as candidaturas de Darquivone Oliveira Alveira (no 11.456) e Nayrane Aragão Valério da Silva seriam fictícias apenas para preenchimento do percentual mínimo obrigatório de 30% por gênero. Ambas não tiveram nenhum voto.

A ação de investigação judicial eleitoral foi proposta pelo Ministério Público Eleitoral, visando apurar a prática de abuso de poder e fraude na composição da lista de candidatos às eleições proporcionais de 2020. A decisão ainda pode ser contestada no TRE-MA (Tribunal Regional Eleitoral de Maranhão).

Para a magistrada, as candidatas tinham plena consciência de que os processos de candidaturas de ambas estavam montados somente para cumprimento da cota/gênero e, com isso, legitimar a participação do partido naquelas eleições

“Em audiência de instrução e julgamento, foi possível constatar que quem concorreu de forma direta e consciente para a referida fraude foram as duas candidatas, Darquivone Oliveira Alveira (no 11.456) e Nayrane Aragão Valério da Silva (no 11.789), e o presidente do partido político, Nilvan dos Santos Lima, devendo sobre eles recair a inelegibilidade, por 08 (oito) anos, subsequentes à eleição municipal de 2020”, diz um dos trechos da decisão.

Fonte: Enquanto isso no Maranhão

Continuar Lendo

Destaques da Semana