Browsing: Economia

Em comunicado aos empregados, o Conselho Diretor da Caixa Econômica Federal informou que a empresa vai passar por um novo processo de reestruturação. Ao todo, 131 unidades internas e administrativas em todo o Brasil serão fechadas. O banco vai passar de 424 departamentos para 293.

De acordo com a carta, sete vice-presidências serão atingidas. São elas: Vilop (Logística), Vigov (Governo), Vihab (Habitação), Vifug (Fundos de Governo), Vific (Finanças e Controladoria), Vipes (Gestão de Pessoas) e a Vitec (Tecnologia da Informação).

Para atender a essa nova realidade e manter a qualidade do atendimento e serviços, o Conselho Diretor afirma que os processos vão ser, em sua maioria, unificados e padronizados. As chamadas Centralizadoras serão ampliadas e vão absorver as demandas das unidades que serão fechadas.

A previsão é de que o processo de reestruturação seja finalizado em março de 2018.

PERDA DE FUNÇÃO

Com o fechamento das unidades, várias funções também serão extintas. O Conselho Diretor da estatal não apresentou números, mas especula-se que cerca de 500 bancários vão perder suas gratificações.

Na tentativa de amenizar o trauma na vida dos empregados, a cúpula da Caixa vai conceder 2 meses adicionais de asseguramento, incorporação de função para quem atende aos requisitos, manutenção de bolsa de graduação, pós-graduação e idiomas. Além disso, os bancários atingidos poderão fazer PSI (Processo de Seleção Interno) para qualquer vice-presidência sem nenhum tipo de trava e terão prioridade na realocação no mesmo município.

A Caixa disponibilizou ainda, um Comitê Nacional de Realocação para auxiliar os trabalhadores na busca por uma nova lotação dentro da empresa.
Esse é mais um duro golpe contra o banco e seus empregados. Na última sexta (14), a direção da Caixa reabriu o PDVE (Programa de Demissão Voluntário Extraordinário). A meta é desligar 5 mil empregados.

FECHAMENTO DE AGÊNCIAS

Em agosto, o alvo será as agências. A expectativa é de que 100 a 120 unidades em todo o país sejam fechadas até o primeiro semestre de 2018. Dentre diversos critérios, a direção da Caixa estabeleceu o financeiro como o mais importante. Por isso, o fechamento das agências deve seguir a seguinte ordem: primeiro, as aquelas que dão prejuízo. Segundo, as que não dão lucro (empatam). Por fim, as que dão resultado abaixo do esperado.

Ao todo, a Caixa tem 4,2 mil agências e postos de atendimento espalhados por todo o Brasil.

A Direção Executiva da Contec repudia a iniciativa da empresa e cobrará explicações no sentido de reverter todo esse movimento que precariza as relações de trabalho e desvaloriza o banco.

Print Friendly, PDF & Email

Os temas centrais do texto aprovado pela Câmara foram mantidos, como a possibilidade de as empresas terceirizarem a chamada atividade-fim

 Por Agência Brasil

São Paulo – O presidente Michel Temer sancionou hoje (31), com três vetos, a lei que libera a terceirização para todas as atividades das empresas.

 

O texto será publicado ainda nesta sexta-feira em edição extra do Diário Oficial da União. A lei começa a valer a partir da data de publicação.

Foram vetados o parágrafo terceiro, do Artigo 10 – que previa a possibilidade de prorrogação do prazo de 270 dias dos contratos temporários ou de experiência -, o Artigos 11 e trechos do Artigo 12 – que repetiam itens que já estão no Artigo 7 da Constituição Federal.

Segundo o Palácio do Planalto, o parágrafo terceiro do Artigo 10 da lei aprovada pelo Congresso abria a possibilidade de prorrogações indefinidas do contrato temporário de trabalho, desde que isso fosse aprovado em acordo ou convenção coletiva, o que poderia prejudicar os trabalhadores.

Há três dias, nove senadores do PMDB assinarem uma carta pedindo para que Temer não sancionasse o texto como foi aprovado pela Câmara dos Deputados.

Para os peemedebistas, da forma como foi aprovado, o texto poderá agravar o desemprego e reduzir a arrecadação.

Temer sancionou a lei depois de ouvir todos os órgãos envolvidos no tema.

Atividade-fim

Os temas centrais do texto aprovado no último dia 22 pela Câmara dos Deputados foram mantidos, como a possibilidade de as empresas terceirizarem a chamada atividade-fim, aquela para a qual a empresa foi criada.

A medida prevê que a contratação terceirizada possa ocorrer sem restrições, inclusive na administração pública.

Antes, decisões judiciais vedavam a terceirização da atividade-fim e permitiam apenas para atividade-meio, ou seja, aquelas funções que não estão diretamente ligadas ao objetivo principal da empresa.

“Quarteirização”

A empresa de terceirização terá autorização para subcontratar outras empresas para realizar serviços de contratação, remuneração e direção do trabalho, que é chamado de “quarteirização”.

Condições de trabalho

É facultativo à empresa contratante oferecer ao terceirizado o mesmo atendimento médico e ambulatorial dado aos seus empregados, incluindo acesso ao refeitório. A empresa é obrigada a garantir segurança, higiene e salubridade a todos os terceirizados.

Causas trabalhistas

Em casos de ações trabalhistas, caberá à empresa terceirizada (que contratou o trabalhador) pagar os direitos questionados na Justiça, se houver condenação.

Se a terceirizada não tiver dinheiro ou bens para arcar com o pagamento, a empresa contratante (que contratou os serviços terceirizados) será acionada e poderá ter bens penhorados pela Justiça para o pagamento da causa trabalhista.

Fonte; EXAME.com

Print Friendly, PDF & Email

As vítimas da recessão tem um perfil diferente dos estruturalmente pobres no país, de acordo com estudo do Banco Mundial

São Paulo – O Banco Mundial estima que o número de novos pobres gerados pela crise brasileira fique entre 2,5 milhões e 3,6 milhões, dependendo de como a economia se comportar em 2017.

A análise foi publicada no começo da semana. São considerados pobres aqueles com renda per capita abaixo de R$ 140 por mês em preços de junho de 2011.

Esses “novos pobres” são pessoas “mais jovens, qualificadas, que residem em áreas urbanas, vinham trabalhando no setor de serviços e são brancas”.

Os estruturalmente pobres tem uma média de qualificação bem mais baixa do que os não pobres, mas isso não acontece entre os novos pobres.

“A proporção de pessoas qualificadas no pool de ‘novos pobres’ é quase tão alta como no pool de não pobres. Isso implica que a atual crise econômica deve empurrar para a pobreza pessoas qualificadas que em outras circunstâncias permaneceriam acima da linha de pobreza”, diz o texto.

Uma das razões é que a recessão veio acompanhada por queda dos salários reais e aumento do desemprego, que foi de 9% para 12% entre o final de 2015 e o final de 2016.

A nova pobreza é mais urbana porque no campo as taxas já são mais elevadas historicamente, e mais forte no Sudeste, considerando que o Nordeste já tem uma taxa maior da pobreza estrutural.

Os responsáveis pelos domicílios estruturalmente pobres são quase 9 anos mais jovens do que aqueles não pobres, enquanto os “novos pobres” são 3 anos mais jovens do que os estruturalmente pobres.

A história é semelhante na comparação racial. A proporção de brancos é maior entre os não pobres, mas a probabilidade de que os “novos pobres” sejam brancos é maior do que os estruturalmente pobres.

O Banco Mundial também nota que a desigualdade deve subir neste novo cenário e que a chegada dos novos pobres exige uma ampliação do orçamento e do alcance do Bolsa Família:

“A profundidade e duração da atual crise econômica no Brasil cria uma oportunidade para expandir o papel do Bolsa Família, que passará de um programa redistributivo eficaz para um verdadeiro programa de rede de proteção flexível o suficiente para expandir a cobertura aos domicílios de ‘novos pobres’ gerados pela crise”.

Fonte: Exame.com

Print Friendly, PDF & Email

Agências da Caixa também vão abrir mais cedo na quinta e na sexta-feira e estarão de plantão no sábado.

As agências da Caixa Econômica Federal (CEF) vão abrir, nesta quarta-feira (15), duas horas mais cedo para tirar dúvidas dos trabalhadores sobre os saques das contas inativas do FGTS. Esse expediente vale também para quinta (16) e sexta (17).

No próximo sábado (18), as agências também vão estar abertas, mas apenas para tirar dúvidas.

As agências da Caixa vão abrir em quatro sábados, de março a julho. Serão 1.891 agências abertas nos seguintes sábados: 11 de março, 13 de maio, 17 de junho e 15 de julho. O horário de funcionamento será das 9h às 15h.

Os saques serão liberados a partir de 10 de março e seguem até julho, dependendo do mês em que o titular da conta nasceu.

 (Foto: )  (Foto: )


O que é uma conta inativa?

Uma conta inativa de FGTS é aquela que deixou de receber os repasses de uma empresa, porque o trabalhador, titular dessa conta, deixou o emprego. Mas não são todas as contas inativas que poderão ter os recursos sacados.

Segundo o governo, o trabalhador poderá retirar o dinheiro apenas daquelas contas do FGTS que se tornaram inativas até 31 de dezembro de 2015, ou seja, contas vinculadas a empregos dos quais a pessoa se desligou até essa data. Portanto, contas que ficaram inativas após 31 de dezembro de 2015, ou contas ativas (vinculadas a empregos a que o trabalhador ainda está ligado), não poderão ter os recursos sacados.

 

Como sacar?

Os saques poderão ser feitos nas agências e caixas eletrônicos da Caixa, dependendo, por exemplo, do valor. Além disso, o cliente que não tem conta na Caixa poderá optar por transferir os recursos do FGTS, de qualquer valor, para uma contacorrente ou conta poupança de qualquer outro banco, sem custo.

  • Sem o Cartão Cidadão: o trabalhador poderá sacar o dinheiro nos caixas eletrônicos da Caixa, sem o Cartão Cidadão, caso o saldo de cada conta inativa seja de até R$ 1.500. Para isso, ele só precisa ter a senha do Cartão Cidadão.
  • Com o Cartão Cidadão: o limite de saque, no Caixa Eletrônico, é de R$ 3 mil por conta inativa.
  • Lotéricas e correspondentes Caixa Aqui: os saques podem ser feitos com o Cartão Cidadão para valores de até R$ 3 mil por conta inativa.
  • Saques acima de R$ 3 mil e até R$ 10 mil: o trabalhador só precisa apresentar, na agência da Caixa, a carteira de identidade para fazer o saque ou a transferência para conta de outro banco, sem custo.
  • Saques acima de R$ 10 mil: além da identidade, será preciso apresentar a carteira de trabalho ou o termo de rescisão de contrato de trabalho vinculado à conta inativa.
  • Contas que aparecem ativas: se o trabalhador tem uma conta de FGTS vinculada a um emprego do qual se desligou até 31 de dezembro de 2015, mas que ainda aparece como “ativa”, terá que comprovar o fim do vinculo através da carteira de trabalho ou rescisão do contrato de trabalho.

Quem não tiver a carteira de trabalho, terá que providenciar uma cópia do termo de rescisão do contrato de trabalho vinculado à conta inativa, e levá-la no momento do saque.

Correntistas

A Caixa Econômica informou ainda que todos os trabalhadores que possuem conta poupança individual na Caixa terão o saldo creditado automaticamente no primeiro dia do calendário referente ao seu mês de nascimento.

Caso o trabalhador tenha conta corrente ou poupança conjunta ele terá que autorizar o crédito no portal da Caixa (www.caixa.gov.br/contasinativas) ou pelo telefone 0800 726 2017.

Estímulo à economia

A liberação do saldo das contas inativas foi anunciada em dezembro pelo presidente Michel Temer. O objetivo do governo é que essa medida ajude a reaquecer a economia brasileira, que vem de dois anos seguidos de recessão.

A estimativa é que R$ 34 bilhões sejam sacados das contas inativas de FGTS. Para a equipe econômica, esse montante não prejudica a saúde financeira do FGTS, que tem hoje um patrimônio líquido estimado em R$ 130 bilhões.

A estimativa do governo é que 30,2 milhões de brasileiros têm contas inativas do FGTS – a estimativa inicial era de 10 milhões. Dos 30,2 milhões, cerca de 10 milhões têm conta-corrente na Caixa.

O governo também reviu a estimativa para o saldo das contas inativas – de R$ 41 bilhões para R$ 43,6 bilhões. A expectativa para o total de recursos a serem sacados, que era de R$ 30 bilhões, é agora de R$ 34 bilhões.

Do G1

Print Friendly, PDF & Email

Presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou que cerca de 49 milhões de contas inativas fazem parte do plano

Brasília – O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, afirmou nesta terça-feira que cerca de 49 milhões de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) podem ter seus recursos sacados, com saldo total de mais de 4

As agências do banco abrirão duas horas mais cedo entre os dias 15 e 17 deste mês para atendimento ao público, que poderá começar a sacar os recursos a partir do dia 10 de março conforme a data de nascimento. Neste caso, são as pessoas nascidas em janeiro e fevereiro, e assim por diante.

O governo tem dito que a medida pode injetar 30 bilhões de reais na economia, ou cerca de 0,5 ponto percentual do Produto Interno Bruto (PIB).

 

FONTE; EXAME.com

Print Friendly, PDF & Email

Quem nasceu em janeiro e fevereiro poderá retirar o valor a partir de 10 de março. Veja as demais datas e saiba se você tem recursos disponíveis para s

 

São Paulo – O presidente Michel Temer e a Caixa Econômica Federal divulgaram nesta terça-feira (14) o calendário de saque do dinheiro das contas inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Os recursos serão liberados gradualmente para evitar uma corrida às agências do banco público, que administra o fundo.

A partir de 10 de março, quem faz aniversário em janeiro e fevereiro já poderá retirar o dinheiro do FGTS inativo. A expectativa do governo é de que até 31 de julho todo o saldo disponível, de cerca 43 bilhões de reais, seja sacado por 30 milhões de trabalhadores.

Veja abaixo o calendário completo.

Mês de nascimento Quando pode sacar
Janeiro 10 de março
Fevereiro 10 de março
Março 10 de abril
Abril 10 de abril
Maio 10 de abril
Junho 12 de maio
Julho 12 de maio
Agosto 12 de maio
Setembro 16 de junho
Outubro 16 de junho
Novembro 16 de junho
Dezembro 14 de julho

O presidente da Caixa, Gilberto Occhi, disse que as agências do banco abrirão, a partir amanhã, duas horas mais cedo em dias úteis para atender à demanda dos trabalhadores por informações sobre o saque do FGTS inativo.

E aos sábados, as agências da Caixa em 1891 lugares funcionarão das 9h às 15h (de Brasília). A Caixa criou um site exclusivo para quem quer tirar dúvidas sobre o saque do FGTS inativo. Também está disponível o telefone 0800 726 2017.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a liberação do saque do FGTS inativo beneficia não somente o trabalhador, mas também o crescimento econômico.

“Essa medida sintetiza de uma forma prática, objetiva e simbólica a linha de ação desse governo”, disse. “Elas estão inseridas dentro de um processo maior, que é o processo de diminuição do tamanho do Estado em benefício de alocação de mais recursos para a sociedade brasileira, atendendo ao objetivo desse governo que é gerar mais emprego e renda”, completou.

O presidente Michel Temer ressaltou a importância da medida, que foi anunciada no fim do ano passado, em um momento em que as famílias e as empresas estão endividadas.

“Discutimos como injetar valores na economia brasileira, de modo a colher pleitos verificados há muito tempo”, disse.  Temer defendeu a modernização trabalhista e enalteceu a convenção e o acordo coletivo.

Quem tem direito ao saque?

Tem direito ao saque todos os trabalhadores que encerraram um contrato de trabalho formal até 31 de dezembro de 2015, seja porque pediram demissão ou foram demitidos e optaram por não sacar o dinheiro naquele momento.

O que é uma conta inativa?

Quando a pessoa possui um trabalho com carteira assinada, ela tem uma conta do FGTS ativa, na qual o trabalhador e o empregador depositam todos os meses uma determinada quantia.

A partir do momento em que o contrato de trabalho se encerra, seja porque o trabalhador pediu demissão ou foi demitido, a conta do FGTS se torna inativa, já que não há mais depósitos.

Há limite para o saque?

Não. Os trabalhadores poderão retirar todo o saldo das contas inativas, desde que a data de desligamento tenha sido até 31 de dezembro de 2015, respeitando o calendário de saque anunciado pelo governo hoje.

É importante ressaltar que uma mesma pessoa pode ter várias contas inativas do FGTS, uma para cada trabalho com carteira assinada que foi encerrado.

Como consultar meu saldo do FGTS inativo?

É possível consultar seu saldo do FGTS inativo no site da Caixa Econômica Federal. Para consultar os extratos, basta que o trabalhador insira o número do PIS/PASEP e cadastre uma senha na internet para acessar o sistema.

PIS/PASEP é a sigla do Programa de Integração Social e do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público, que englobam contribuições sociais devidas pelas empresas ao trabalhador.

A consulta ao saldo de contas inativas no fundo também pode ser feita pelo aplicativo do FGTS, em outros canais de atendimento da Caixa e lotéricas.

Caso opte por ir até uma agência da Caixa, usar o autoatendimento do banco ou ir até uma lotérica, o trabalhador deve apresentar o Cartão Cidadão (no qual são depositados benefícios sociais geridos pelo banco, como seguro desemprego e o abono do PIS) para realizar a consulta.

FONTE; Exame.com

 

Print Friendly, PDF & Email

Governo vai divulgar o calendário oficial para as retiradas nesta terça

Em nota, a Caixa disse que vai recorrer de qualquer decisão contrária ao FGTS

Ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador (Eladio Machado/VEJA)

O calendário para saque dos saldos das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) deve começar no dia 10 de março, uma sexta-feira. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. O governo vai anunciar nesta terça o calendário oficial para os saques. Cerca de 10 milhões de brasileiros têm direito à retirada.

A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador. Pelo último desenho do calendário, quem nasceu em janeiro ou fevereiro, poderá sacar os recursos a partir de 10 de março; quem nasceu em março, abril ou maio, poderá sacar a partir de abril; os que fazem aniversário em junho, julho ou agosto, a partir de maio; os aniversariantes de setembro, outubro ou novembro, a partir de junho; e os que nasceram em dezembro, em julho.

O banco decidiu deixar apenas os aniversariantes de dezembro para receber em julho porque será possível a todos os cotistas retirar o dinheiro a partir da data estipulada no calendário até 31 de julho. Ou seja: quem nasceu em janeiro, por exemplo, poderá sacar o dinheiro de 10 de março até 31 de julho.

Impulso na economia

A regra que libera os recursos foi anunciada pelo governo em dezembro, como forma de dar um impulso na economia e ajudar endividados. Mas faltava um cronograma de liberação para evitar que o fluxo de pessoas congestionasse as agências e para que o grande volume dos pagamentos pudesse ser viabilizado – a estimativa é que 30 bilhões de reais possam ser sacados.

Antes da mudança na regra do saque, somente contas que tivessem ficado por pelo menos três anos sem depósito – e cujo trabalhador estivesse sem emprego formal pelo mesmo período – eram consideradas inativas e podiam ser acessadas. Mesmo se a conta não estiver inativa, é possível sacar ou usar o dinheiro do FGTS sob algumas condições especiais.

(Com Estadão Conteúdo)

 
Print Friendly, PDF & Email

Compra vai criar a segunda maior cervejaria brasileira

Londres – A holandesa Heineken anunciou hoje que fechou a compra da Brasil Kirin Holding S.A., por 664 milhões de euros (US$ 704 milhões), num negócio que a transformará na maior segunda cervejaria do Brasil.

A Heineken vai adquirir a Brasil Kirin da japonesa Kirin, que fabrica a cerveja da marca e uma série de produtos farmacêuticos e químicos. A expectativa é que o acordo seja concluído ainda no primeiro semestre deste ano.

O montante a ser desembolsado estima o valor da empresa em 1,025 bilhão de euros. Em 2015, a Brasil Kirin tinha participação de 9% no mercado brasileiro de cervejas, segundo comunicado da Heineken.

As marcas de cerveja da Brasil Kirin incluem Schin, Baden Baden e Eisenbahn.

No mês passado, Heineken e Kirin já haviam confirmado que estavam em negociações.

Fonte: Dow Jones Newswires.

Print Friendly, PDF & Email

 

Brasília – O governo federal vai divulgar na terça-feira que vem, dia 14, o calendário de saque das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O anúncio está previsto para ocorrer às 11 horas no Palácio do Planalto.

Como o jornal O Estado de S. Paulo antecipou em janeiro, os 10,1 milhões de trabalhadores que possuem saldo em contas inativas do fundo poderão sacar os recursos a partir de março. A ordem dos saques deve ser baseada no mês de aniversário do trabalhador.

A retirada deve ser feita até julho, conforme informou o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. A Caixa vai criar um site para orientar os trabalhadores. Os correntistas do banco estatal poderão ter o dinheiro transferido direto para a conta.

De acordo com dados oficiais, há atualmente 18,6 milhões de contas inativas há mais de um ano, com saldo total de R$ 41 bilhões. A estimativa do governo é que 70% das pessoas com direito ao saque procurem a Caixa para ter acesso aos saldos das contas.

Para os defensores da ideia, os saques não vão causar impacto significativo no saldo do FGTS, que é da ordem de R$ 380 bilhões. Assim que foi divulgada essa medida, como pacote de presente de Natal do governo, o setor da construção criticou a decisão de liberar o saldo total das contas inativas.

A primeira ideia do governo era limitar entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil. Na última hora, o presidente Michel Temer foi convencido a não colocar limite para os saques com o argumento de que 86% dessas contas têm saldo inferior a R$ 880 (salário mínimo de 2016).

Com base em dados do FGTS e outros indicadores econômicos, o banco Santander estima que apenas 1,2% das contas inativas do FGTS – cerca de 100 mil cotistas – têm saldo superior a R$ 17,6 mil que, somados, respondem pela grande parcela de R$ 20 bilhões depositados. O montante é praticamente a metade de todo o saldo inativo do Fundo, que soma R$ 41,4 bilhões.

Ao mesmo tempo, outros 94% dos cotistas têm saldo entre zero e R$ 3,5 mil. Somado, esse grupo majoritário em número de trabalhadores responde pela parcela minoritária de 17% dos depósitos. Essa grande concentração de recursos na mão de poucos trabalhadores limita o impacto da liberação dos recursos sobre a demanda e o pagamento de dívidas, diz o banco espanhol.

FONTE:Exame.com

Print Friendly, PDF & Email
1 2