Browsing: Mundo

Uma chinesa identifica apenas como Fang, 49 anos, descobriu após procurar um otorrinolaringologia, um sanguessuga vivendo dentro de seu nariz. Ela procurou, na última terça-feira (9), o especialista após sofrer sangramentos nasais constantes por dez dias.

Nativa da cidade de Zhongshan, da província de Guangdong, no sul da China, Fang foi examinada no hospital de Shenwan. Os médicos ficaram atordoados ao encontrar a sanguessuga dentro de seu nariz.

A princípio, os médicos não tinham certeza sobre qual criatura era aquela, mas suspeitavam do sugador de sangue. As suspeitas foram confirmadas quando eles retiraram o animal de 7,6 centímetros ainda vivo da narina da paciente.

Completamente desenvolvido, acredita-se que o animal gosmento ficou alojado confortavelmente na parte nasal da faringe da mulher por meses. Eventualmente, o anelídeo passou a provocar sangramentos nasais conforme seu apetite aumentava.

Fang contou aos médicos que tem o costume de enxaguar a boca e lavar o rosto usando água de nascentes naturais, de rios e córregos que passam perto de sua casa. Os especialistas acreditam que foi assim que o animal, ainda pequeno, entrou em sua cavidade nasal e ficou lá por meses a fio sem ser descoberto, se alimentando e crescendo.

A mulher não deve sofrer nenhuma consequência a longo prazo agora que o bicho foi retirado de seu nariz . Entretanto, ela foi aconselhada a, a partir de agora, só usar água encanada ou fervida para escovar os dentes e lavar o rosto.

Corpos estranhos

No começo deste ano, a indiana Selvi enfrentou um problema parecido. Lidando com fortes dores de cabeça, a mulher foi ao médico e descobriu uma barata rastejando em seu crânio , na região entre seus olhos.

Ela foi submetida a um procedimento de 45 minutos de duração para a retirada do inseto, que assim como a sanguessuga, foi extraído pela narina da paciente. Os médicos afirmaram nunca ter visto nada parecido antes.

Fonte: ig
Print Friendly, PDF & Email

Por blastingnews

‘Baleia Azul’ [VÍDEO]: esse é o nome do jogo que está gerando muitas reportagens que mostram como famílias inteiras estão assustadas. O jogo, que teve sua trajetória iniciada na Rússia, já teria ganho muitos adeptos no Brasil, onde diversos casos estão sendo investigados. No país governado por Vladimir Putin, a “brincadeira” já teria causado pelo menos cem mortes. Mas quem bolou tudo isso? Segundo informações do próprio governo russo e da imprensa internacional, quem teria feito a criação do jogo do suicídio foi Filipp Budeykin.

Ele tem apenas 21 anos. O jovem, após ser descoberto, acabou sendo preso. Desde novembro de 2016, ele aguarda um julgamento por ter dado início ao ‘#Baleia Azul’.

Filipp é acusado de ter desencadeado pelo menos quinze morte de crianças e adolescentes em todo o planeta. A acusação contra ele é por ter incentivado os suicídios, através dos chamados ’50 Desafios’. A mente do rapaz é chamada de ‘diabólica’ por investigadores que acompanharam a sua trajetória, e, acredita-se, ele possa também ser responsável pelo desencadeamento do jogo por todo o mundo.

A mente diabólica do criador do ‘Baleia Azul’
De acordo com o jornal ‘Pravda’, Filipp, o criador do ‘Baleia Azul’, sofre de uma doença psicológica. O jovem seria bipolar e, por isso, tem crises agudas de humor. Durante a infância, ele teria sido abusado e maltratado diversas vezes. Até que seu julgamento acontece, o tutor do jogo do suicídio, aguarda uma resposta da justiça em São Petersburgo, na Rússia, onde está internado em um hospital psiquiátrico. O aliciamento do rapaz teria começado ainda em 2013 em uma rede social local.

Print Friendly, PDF & Email
Print Friendly, PDF & Email

São vídeos curtos, de poucos segundos

Câmeras de segurança posicionadas no lado de fora de uma casa noturna chamada The Point, em Sunderland, leste do Reino Unidos, flagraram dezenas de casais fazendo sexo nas imediações da balada. As imagens mostram homens e mulheres usando becos escuros atrás ou próximos à boate.

Não se sabe ainda quem divulgou as imagens para os canais pornôs. A multa para quem cometer esse tipo de infração, no Reino Unido, pode chegar a mais de R$ 1,7 milhão.

As imagens estão sendo compartilhadas nas redes sociais — mostrando imagens encobertas. As gravações foram parar em canais de filmes adultos e viralizaram.

São vídeos curtos, de poucos segundos, que revelam casais que estavam na boate e saíram para “ficar” no lado de fora. As câmeras mostram casais encostando-se em muros na parte de trás do The Point, sem o menor embaraço.

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Image title

Fonte: Com informações do R7
Print Friendly, PDF & Email

Um policial foi esfaqueado e testemunhas escutaram tiros do lado de fora do prédio

Polícia isola área nos arredores da Praça do Parlamento depois de relatos de tiros no local, em Londres – 22/03/2017 (Stefan Wermuth/Reuters)

A polícia da Inglaterra investiga um incidente com tiros em frente ao Parlamento inglês na tarde desta quarta-feira, segundo testemunhas. De acordo com o jornal The Guardian, um policial foi esfaqueado e as forças de segurança balearam o autor do ataque. De três a quatro tiros foram escutados e causaram pânico próximo à Casa dos Comuns.

A agência de notícias Reuters informa que dezenas de pessoas ficaram feridas na confusão, nos arredores da ponte de Westminster. A polícia confirma que foi chamada para responder ao incidente às 14h40, no horário local (11h40 em Brasília) e os oficiais estão no local. A sessão do Parlamento foi suspensa e os deputados são mantidos dentro do prédio.

VEJA.com

Print Friendly, PDF & Email

Nikita Rasskazov queria que o garoto pedisse desculpa pelo assédio, mas a conversa entre os dois desencadeou uma briga e Rasskazov matou o menino

Um adolescente russo matou e depois decapitou um amigo que teria abusado sexualmente de sua namorada. Nikita Rasskazov, de 16 anos, matou Artyom Shustov, de 19 anos, e levou a cabeça da vítima em um saco de lixo para Olena Matsneva , de 17 anos, como “prova” de seu amor.

Conhecido por ser uma pessoa calma, o russo confessou ser culpado pelo crime. Ele esfaqueou Shustov com uma faca de cozinha antes de decapitá-lo “por amor ” em um parque em Komsomolsk-on-Amur, no leste do país. O jovem diz se arrepender de seus atos.

Durante investigação realizada por órgão equivalente ao FBI na Rússia, que durou 14 semanas, oficiais descobriram que Olena havia contado a seu namorado sobre um assédio sexual que sofreu em uma festa. Segundo ela, depois que se recusou a transar com Shustov, ele e um amigo apalparam os seios e a genitália de Olena enquanto um terceiro garoto a segurava. Por mais que tenha se sentido humilhada pela situação, a jovem não denunciou o ataque à polícia.

Rasskazov afirma que não tinha a intenção de matar o amigo, mas queria que Shustov pedisse desculpa à sua namorada pelo assédio. Entretanto, a conversa teria se transformado em uma discussão, acabando em briga e, finalmente, com o mais novo esfaqueando o mais velho até a morte.

“Cego de raiva”, Nikita decapitou a vítima, pegou a cabeça pelos cabelos e a guardou em um saco de lixo, dentro de sua mochila, onde também deixou as roupas ensanguentadas. Ele escondeu o resto do corpo atrás de arbustos.

No dia seguinte, levou a cabeça para sua namorada como prova de seu amor por ela, mas a garota se sentiu perturbada pelo crime. Em seguida, ele jogou a cabeça em um rio local. Por ser menor de idade, o russo pode enfrentar no máximo dez anos na prisão.

Em entrevista ao “Daily Mail”, a mãe de Olena falou sobre o amor da garota por Rasskazov. “Minha filha literalmente desabrochou quando começou a namorar com ele”, disse. “Ele visitava nossa casa com frequência e era um rapaz muito calmo e quieto”.

24horasnews

Print Friendly, PDF & Email

Levado por um amigo a um hospital próximo, o taxista foi submetido a cirurgia para reimplante do pênis

Taxista tem o pênis decepado após se recusar a fazer sexo com a esposa

Ilustração

Um homem de 34 anos teve o pênis decepado após seguidas recusas para fazer sexo com a esposa, de 30.

O taxista voltava para casa, em Noida (Uttar Pradesh, Índia), na noite de quinta-feira (9/3), quando começou uma discussão com a mulher, que exigia que eles fizessem sexo.

Indignada com a recusa, ela pegou uma faca na cozinha e atacou o marido quando ele urinava no banheiro.

“Tenho tentado convencê-lo a ter filhos comigo, mas ele não quer relações físicas comigo. Não me arrependo, venho sofrendo humilhação e tortura mental”, disse a indiana em delegacia, de acordo com o “Times of Índia”.

Levado por um amigo a um hospital próximo, o taxista foi submetido a cirurgia para reimplante do pênis. De acordo com o médico Saurabh Gupta, a operação, com a duração de cinco horas. foi bem-sucedida. 

Print Friendly, PDF & Email

Quem foi a um terminal de caixas eletrônicos do HSBC em Oaxaca (México), na semana passada, para sacar dinheiro ou fazer uma outra operação bancária teve que esperar até que um casal completasse o que estava fazendo no local: sexo.

De acordo com o “Metro”, um grande grupo de clientes ficou do lado de fora. O casal não se importou e continuou o exercício carnal.

Acredita-se que os envolvidos sejam professores, que resolveram se afastar da manifestação grevista da categoria que ocorria nas proximidades.
O vídeo registrando a cena se tornou viral no México.
Print Friendly, PDF & Email

Ray Woodhall faria uma cirurgia cardíaca no mesmo dia; sua família chegou a ser informada que ele provavelmente não sobrevive

Foi preciso recorrer a uma equipe de seis especialistas de plantão para lidar com o caso  (Foto: Worcestershire Royal Hospital)

Foi preciso recorrer a uma equipe de seis especialistas de plantão para lidar com o caso (Foto: Worcestershire Royal Hospital)


Ray Woodhall, de 54 anos, teve um infarto em dezembro passado após jogar seis partidas de futebol de dez minutos cada e, no hospital, diz ter chegado a “morrer” 27 vezes enquanto uma equipe médica tentava salvar sua vida.

Foram tantas paradas cardíacas, conta ele, que uma enfermeira lhe pediu desculpas por ter precisado socar tanto seu peito. Outra enfermeira disse que até então só tinha visto um paciente neste estado ser ressucitado sete vezes no máximo.

“Meu último infarto foi o mais assustador”, diz ele, que trabalha como distribuidor de bebidas em Wednesbury, na região central da Inglaterra, e tem três filhos.

O Hospital Worcestershire Royal disse que foi preciso recorrer a uma equipe de seis especialistas de plantão para lidar com um caso de “múltiplos ataques cardíacos”.

Woodhall conta que sua mulher o acompanhava. “Ela me viu morrer na sua frente”, diz ele. “Morrer é como adormecer.” E foi o que pensou que acontecia até ser informado pelos médicos que havia “partido”.

Dor no peito

Ele começou a sentir-se mal após a última partida e reclamou do peito “dolorido”. Woodhall se recusou a princípio a chamar uma ambulância, mas concordou ao notar que o desconforto persistia.

Os paramédicos disseram que ele estava tendo uma parada cardíaca – e Woodhall teria outros 26 já na emergência hospitar.

Naquele dia, estava programada uma cirurgia para colocar dois stents – próteses que mantêm as artérias abertas – em seu coração.

Ele disputou um torneio de uma modalidade conhecida como “walking football” (futebol de caminhada, em tradução livre), uma versão de baixo impacto do esporte voltada para pessoas com mobilidade limitada.

De noite, já no hospital, sua família chegou a ouvir dos médicos que ele provavelmente não sobreviveria após sofrer a uma série de paradas cardíacas entre 21h e 3h da manhã.

Fonte: G1

 

Print Friendly, PDF & Email
1 2 3 4