Browsing: Mundo

Depois de matar a criança, o rapaz comeu alguns pedaços do corpo e bebeu o sangue.

Adolescente mata criança de 9 anos e come pedaços de seu corpo e bebe o sangue Foto: Reprodução

Um crime bárbaro chocou a cidade de Ludhiana, na Índia. De acordo com a polícia, um adolescente de 16 anos matou, esquartejou e comeu partes do corpo de um menino de 9 anos, que ele atraiu até uma mata próxima a sua casa.

Vikesh Kumar foi preso acusado de assassinato. Depois de matar a criança, o rapaz comeu alguns pedaços do corpo e bebeu o sangue.

Depois ele foi para casa e se comportou normalmente. Os pais da criança comunicaram o caso à polícia quando o garoto não voltou para casa da escola. A autoridades assistiram gravações de câmeras de segurança da área, e viram imagens de Kumar andando com a vítima pelas ruas. Interrogado, o adolescente confessou o crime.

Print Friendly, PDF & Email

Decisão interrompe alguns pontos da decisão de Donald Trump, que barrou a entrada de cidadãos de sete países, mesmo em situação legal de visto

Uma decisão da Justiça dos Estados Unidos tomada na noite de sábado, dia 28, suspende parte do decreto do presidente Donald Trump de proibir o ingresso de refugiados e imigrantes de sete países muçulmanos.

Pela ordem da corte federal, fica autorizado o ingresso de estrangeiros dessas nações em situação legal de visto que já estão nos aeroportos americanos e também daqueles que estão em trânsito.

Trump anunciou que cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão e Iêmen não podem entrar nos EUA pelos próximos noventa dias. Para sírios, o banimento tem tempo indeterminado. A medida, disse o presidente, visa proteger o país de “terroristas islâmicos radicais”.

Detentores de “green card” terão de passar por aprovação para entrar nos Estados Unidos, com análise caso a caso, disse uma alta fonte da administração Trump neste sábado. A única exceção diz respeito a imigrantes e residentes legais cuja entrada nos Estados Unidos seja considerada de interesse nacional. Não está claro, porém, quando essa exceção será aplicada.

Calcula-se que entre 100 e 200 imigrantes estejam presos nos aeroportos americanos esperando por uma definição.

O novo decreto presidencial assinado por Donald Trump causou confusão em aeroportos do mundo todo neste sábado. No aeroporto internacional JFK, em Nova York, centenas de pessoas protestam contra Trump desde o início da manhã.

FONTE: VEJA.COM

Print Friendly, PDF & Email

Bebê nasceu saudável e agora precisará de roupas maiores

Com o sonho de “ter um bebê gordinho”, a australiana Natashia Corrigan não poderia ter ficado mais feliz ao dar à luz seu quarto filho: Brian Liddle Junior nasceu com 6 quilos e 57 centímetros.

“Essa foi a primeira gravidez que tive a experiência do parto normal, também a minha gestação mais longa e como consegui o menino gordinho que eu sempre quis”, contou Natashia em entrevista ao “Herald Sun”.

Mãe de outras três crianças, a mulher ainda conta que na 36ª semana de gravidez, Brian já era maior do que a irmã mais nova ao nascer.

O bebê, que está sendo considerado o maior nascido no Mercy Hospital, em Vitória (Austrália), nasceu saudável, e agora precisará de roupas maiores.

Image title

Image title

Fonte: Com informações da UOL
Print Friendly, PDF & Email
Print Friendly, PDF & Email

Em um país como a Islândia, em que os assassinatos são extremamente raros, a descoberta em uma praia de um cadáver de uma mulher de 20 anos que estava há oito dias desaparecida chocou a população. Até mesmo antes da confirmação de se a jovem Birna Brjansdottir, vendedora de uma loja de roupas, havia sido assassinada ou não. “Por enquanto ainda não foi possível determinar a causa da morte”, disse um porta-voz da polícia, após os 725 voluntários que vasculharam a capital Reykjavík e encontrarem o corpo em uma praia ao sul da capital. Foi a maior operação de busca e resgate na história do país, de acordo com a imprensa.

Birna Brjansdottir, em uma foto fornecida pela polícia de Reykjavík. 

A Islândia, de 330.000 habitantes, acompanha com enorme interesse as notícias sobre o caso da jovem Não é de se estranhar, em um país onde o número de assassinatos é de 1,8 por ano desde 2001. Após a descoberta do corpo de Birna, dois marinheiros groenlandeses foram presos, mas por enquanto não existem provas definitivas de que a jovem foi assassinada por eles.

O caso começa em 14 de janeiro, quando a jovem, de cabelo castanho quase ruivo, foi vista bebendo pelos bares da zona portuária de Reykjavík. Pouco antes de desaparecer, Birna Brjansdottir foi filmada por uma câmera de vigilância de rua: cambaleava pelas ruas com neve enquanto se aproximava de um estabelecimento para comprar um kebab. Mal conseguia ficar em pé. O vídeo marca as cinco da manhã.

Seu último rastro foram seus sapatos, que foram encontrados no porto de Hafnarfjordur, ao sul de Reykjavík, não muito distante do cais onde um barco de pesca groenlandês, o Nanoq Polar, atracou na mesma noite. Estavam bem perto de um carro vermelho e pequeno.

Desde aquela noite, a jovem estava desaparecida. O barco, por sua vez, havia zarpado, mas foi obrigado a voltar pela polícia islandesa. Já no porto, os marinheiros reconheceram que haviam alugado um carro vermelho (como o que aparece em um dos vídeos), em cujo interior foram encontrados traços de sangue, de acordo com as autoridades.

A Islândia tem uma das taxas de crimes e homicídios mais baixas do planeta, e até mesmo os policiais patrulham desarmados pelas ruas. De fato, as forças de segurança islandesas causaram sua primeira morte em dezembro de 2013, durante um tiroteio.

A maioria dos assassinatos no país está relacionada com a violência de gênero, o consumo elevado de álcool e os distúrbio mentais. O ano mais violento na Islândia foi 2002, com quatro assassinatos, mas em alguns anos (2003, 2006 e 2008) não ocorreu nenhum.

Fonte: EL País

Print Friendly, PDF & Email

Estupro coletivo aconteceu no domingo em Uppsala, cerca de uma hora ao norte da capital, Estocolmo, e chocou o país nórdico

Estocolmo – Três homens foram presos na Suécia por suspeita de estuprarem uma mulher em um ataque transmitido ao vivo pelo Facebook, informou a polícia.

 

O suposto estupro coletivo aconteceu no domingo em Uppsala, cerca de uma hora ao norte da capital, Estocolmo, e chocou o país nórdico.

“Este estupro foi transmitido ao vivo em um grupo no Facebook”, informou a polícia em comunicado.

Diversos espectadores da transmissão relataram o estupro, de acordo com comunicado. A polícia realizou operação em um apartamento na cidade e deteve três homens nascidos entre 1992 e 1998. Uma mulher também foi encontrada.

A suposta vítima nasceu em 1986, segundo a polícia.

A transmissão é o vídeo gráfico mais recente que leva à tona as complexas questões éticas e políticas enfrentadas pelo Facebook Live e outros.

O modo ao vivo do Facebook permite que qualquer um transmita um vídeo diretamente de um smartphone. Mas, enquanto emissoras de TV tradicionais estão sujeitas a regulamentações, serviços de streaming na internet não enfrentam as mesmas restrições e usam seus próprios termos de serviços.

A mídia local relatou que o vídeo foi removido e a polícia pedia para qualquer um com uma cópia enviasse às autoridades.

Em seu site, o Facebook diz que irá “remover conteúdos, desabilitar contas e trabalhar com as autoridades da lei quando acreditar que há um risco genuíno de dano físico ou ameaças diretas à segurança pública”.

Print Friendly, PDF & Email

Os confrontos estão ocorrendo a apenas quatro ruas da avenida onde a caravana presidencial que levará Trump até a Casa Branca passará nas próximas horas

Protestos: os enfrentamentos deixaram, além dos 90 presos, várias pessoas levemente feridas e danos significativos em estabelecimentos comerciais e veículos (Adrees Latif/Reuters)

Washington – Centenas de manifestantes e policiais entraram em confronto nesta sexta-feira em Washington durante protestos registrados durante a cerimônia de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e cerca de 90 pessoas já foram detidas pelos agentes no centro da capital do país.

O diretor interino da Polícia de Washington, Peter Newsham, disse em comunicado que os enfrentamentos deixaram, além dos 90 presos, várias pessoas levemente feridas e danos significativos em estabelecimentos comerciais e veículos.

Segundo a Agência Efe pôde constatar, os confrontos estão ocorrendo a apenas quatro ruas da avenida onde a caravana presidencial que levará Trump até a Casa Branca passará em breve.

 

“É uma pena que isso ocorra. Sabíamos que seria um dia longo. Levaremos preso qualquer um que pense que pode vir aqui e violar a lei”, disse o diretor interino da Polícia de Washington.

Os enfrentamentos começaram desde o início da manhã, quando as vidraças de vários estabelecimentos foram quebradas.

Por volta do meio-dia, a tensão aumentou após confronto entre os manifestantes e os agentes na esquina das ruas 12 e K no centro da capital, depois de Trump ter tomado posse oficialmente como presidente do país.

Os manifestantes quebraram a janela de vários veículos, colocaram fogo em lixeiras e jogaram pedras contra os policiais, que responderam com gás de pimenta e bombas de gás lacrimogêneo.

Por enquanto, não houve confronto entre manifestantes contrários e favoráveis ao novo presidente dos EUA.

Washington está repleta de agentes nas ruas e com ruas bloqueadas devido aos atos da cerimônia de posse de Trump.

Fonte: Exame.com

Print Friendly, PDF & Email

Apenas 37 municípios do Maranhão estão aptos a firmar convênios e receber recursos oriundos de transferências do Governo do Estado (a lista dos regulares pode ser consultada abaixo).

O problema da maiora das prefeituras é a falta de transparência. Das 217 prefeituras, 180 não possuem portais da transparência.

O presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), conselheiro Jorge Pavão, determinou na semana passada que, a partir de agora, se faça constar nas certidões emitidas aos municípios pela Corte de Contas, a título de informação, se há ou não o descumprimento – por parte das gestões municipais -, da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) a respeito da transparência.

Segundo o conselheiro, a não implantação ou alimentação dos portais de transparência enseja a proibição aos municípios de receber transferências estaduais ou federais, voluntárias e legais.

Embasado pela determinação do TCE, o secretário de Estado da Transparência e Controle, Rodrigo Lago, já anunciou que o governo não assina convênio com quem não se adequar.

“Nos convênios, o Maranhão exigirá dos municípios certidão do TCE/MA sobre portais da transparência. O Governo do Maranhão somente efetivará repasses voluntários de recursos aos municípios que possuírem portal da transparência, segundo o TCE/MA”, disse ele, pelo Twitter, após reunião com o TCE e a CGU.

Veja abaixo a lista dos aptos a conveniar.

Açailândia
Balsas
Boa Vista do Gurupi
Campestre do Maranhão
Cantanhede
Caxias
Chapadinha
Davinópolis
Governador Edison Lobão
Imperatriz
Itapecuru
Itinga
João Lisboa
Lago dos Rodrigues
Lagoa do Mato
Lagoa Grande do Maranhão
Lima Campos
Matões do Norte
Olho d`Água das Cunhãs
Paço do Lumiar
Paraibano
Paulo Ramos
Pedro do Rosário
Peri Mirim
Pindaré-Mirim
Santa Inês
Santo Amaro do Maranhão
São Benedito do Rio Preto
São Francisco do Brejão
São João do Soter
São José de Ribamar
São Luís
São Mateus do Maranhão
São Roberto
Timom
Vargem Grande
Zé Doca

FONTE: GILBERTO LÉDA

 

Print Friendly, PDF & Email

”Assassina do sorvete”: os dois homens eram sorveteiros e Estibaliz Carranza escondeu os restos mortais em sua sorveteria

Um caso de crime na Áustria está chamando a atenção da imprensa internacional: isso porque uma mulher condenada à prisão perpétua, apelidada como “assassina do sorvete”, foi considerada tão perigosa pela Justiça do país que será transferida de sua unidade de detenção atual para um centro especial em Asten, a mais de 150 km da capital Viena.

Nascida na Espanha, Estibaliz Carranza, de 38 anos, é culpada pelo assassinato de seu ex-marido e de seu amante, em 2008 e 2010, respectivamente. Em ambos os crimes, a assassina atirou na nuca dos sorveteiros, praticamente à queima-roupa.

Depois de matar os homens, ela usou uma serra elétrica para retalhar os corpos e escondeu os pedaços embaixo de concreto, no piso do depósito de sua sorveteria. Ela acreditava ter saído impune pelos crimes quando, em 2012, foi necessária fazer uma manutenção no local e os trabalhadores encontraram os restos mortais.

Durante o encarceramento, Carranza escreveu um livro de memórias com ajuda de uma jornalista. Nele, conta suas motivações para cometer os crimes, o modo como matou os dois homens, a arma que usou e outros detalhes sórdidos.

“Eu matei dois homens a quem um dia amei. Não tem como maquiar este fato, eu roubei duas mães de seus filhos. Eu acreditava que precisava servir aos homens, independente de como se comportassem”, escreveu em seu livro.

Após avaliação psiquiátrica foi determinado que a mulher é “mentalmente anormal”, perigosa e como uma “princesa… que só quer ser salva por um homem”. Além disso, profissionais acreditam que ela possa voltar a cometer assassinatos caso não receba tratamento.

De acordo com o tabloide britânico “The Mirror”, os advogados de Carranza esperam que eventualmente ela possa ser transferida para uma prisão espanhola, de onde é nativa, mas para isso é necessário que ela seja considerada curada.

A unidade para a qual foi realocada conta com tecnologia de ponta e abriga 91 homens. Após a mudança da “assassina do sorvete”, outras 13 mulheres devem ser recebidas pelo local. Os detentos são livres para circular pelo centro, que conta com alojamentos individuais e duplos e permite que os infratores cozinhem juntos e há uma sala de televisão.

Apesar do luxo, não se deixe enganar: a vigilância permanece 24 horas por dia. Para as 91 pessoas encarceradas atualmente no centro, a equipe conta com 45 enfermeiras, 18 terapeutas, quatro médicos e oito guardas em serviço.

Na unidade de detenção onde está presa atualmente, Estibaliz Carranza está estudando administração. É esperado que a assassina continue seus estudos mesmo após a transferência para o novo centro.

FONTE: 24H NEWS

Print Friendly, PDF & Email