Browsing: Notícia Geral

Evento foi chamado de “Bonde do Prato”, em referência ao consumo de drogas.

Em meio à crise carcerária, imagens feitas em Pernambuco evidenciam a perda de controle de gestão em um presídio para mulheres. Um vídeo, que teve autenticidade confirmada pelo Governo do Estado, mostra uma festa de com direito a álcool e drogas realizada pelas presas da Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, na Zona Oeste da cidade.

Nas imagens, é possível ouvir as detentas chamando o evento de ‘Bonde do Prato’, fazendo referência ao consumo de drogas, possivelmente cocaína. Na gravação, presidiárias também aparecem com celulares e tiram fotos, enquanto dançam e ouvem música. A maioria se exibe com copos na mão e muitas mostram sorrisos abertos, em um clima de animação.

As imagens são do dia 31 de dezembro de 2016 e seriam da festa de réveillon, segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE). Elas acabaram parando nas redes sociais, no domingo (8). O link do vídeo chegou ao WhatsApp da Globo Nordeste nesta terça (10).

Diante das cenas , o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, informou ao G1 que as presidiárias receberam as devidas punições. Um inquérito administrativo foi aberto para apurar as circunstâncias da festa. “Isso é afrontoso. Nove [presas] forma identificadas por consumo de drogas, estão em celas de disciplina e vão responder a inquérito administrativo”, detalhou Pedro Eurico.

O vídeo

Nas primeiras imagens, o vídeo mostra uma detenta falando ao celular, no meio do corredor da unidade. Outras detentas estão em volta. Em seguida, a câmera focaliza uma das celas. O espaço está ornamentado com panos e tem paredes pintadas em várias cores.

Nesse momento do vídeo, uma das presas afirma é o ‘Bonde do Prato’. Logo em seguida, aparece uma das mulheres cheirando algo que se assemelha à cocaína. Outra presa exibe, com ‘orgulho’, cigarros de maconha. “É massa”, declara outra presidiária, usando uma gíria local para falar sobre o entorpecente.
Depois das imagens captadas na cela, a câmera focaliza de novo a festa no corredor da unidade. O som alto, de uma música brega, vem de um pequeno aparelho e anima as mulheres. Elas dançam, bebem e tiram fotos.

Lotação

A ColôniaPenal Feminina do Recife tem capacidade para 200 detentas. Hoje, abriga 691, de acordo com no Sindicatosdos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE). O número de responsáveis pela guarda, conforme a entidade, não é suficiente.

“São três a quatro pessoas por plantão para dar conta dessa população. O ideal seria contar com pelo menos 30 servidores”, afirma o presidente da entidade, João Carvalho. Diante do problema, ele voltou a cobrar uma posição do governo de Pernambuco sobre o concurso para agentes. “Eles tinham prometido para 2016, mas foi adiado outra vez”, afirmou.

Fonte: 24hNews
Print Friendly, PDF & Email

Cada nova vaga no sistema prisional custaria de 40 e 50 mil reais aos cofres públicos

Presos passam por revista, após rebelião em presídio de Manaus (Divulgação)

Para acabar com o déficit atual de 250.000 vagas no sistema penitenciário nacional, seria necessário um investimento de pelo menos 10 bilhões de reais. Os números foram apresentados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em documento enviado em outubro à presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, antes de sua primeira blitz em presídios, no Rio Grande do Norte.

No relatório, o CNJ estimou que cada nova vaga no sistema prisional custaria de 40.000 a 50.000 reais aos cofres públicos. No documento, o Conselho alerta Cármen de que havia, na época, 132 unidades sendo construídas com recursos federais, mas “o tempo médio para construção não tem sido menor do que seis anos para a entrega das obras.

Entre os principais problemas do sistema prisional apontados pelo CNJ à ministra estão superlotação, déficit de gestão (número de agentes penitenciários insuficiente), a ausência de políticas de reintegração social (apenas 13% dos presos estudam e só 20% trabalham) e a mortalidade dentro dos presídios, com surtos de tuberculose, sarna, HIV, sífilis e hepatite entre os detentos.

 

Antes mesmo dos massacres em Manaus e Boa Vista, com 97 mortes, a questão penitenciária já era prioridade de Cármen. A ministra fez blitze no Rio Grande do Norte, no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul. No sábado, o presidente Michel Temer foi até a residência da ministra para discutir o assunto.

Na ocasião, Cármen informou que somente a realização de um censo do sistema carcerário nacional deverá custar ao governo federal até R$ 18 milhões. O levantamento com informações detalhadas de cada presidiário no Brasil é uma das propostas da presidente do Judiciário para superar a crise prisional. Ela já teve reuniões a respeito com o presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paulo Rabello de Castro, e com representantes do Exército.

Um dos pontos que ainda não estão definidos no projeto da ministra Cármen Lúcia é como será feita a coleta de informações. Apesar da possibilidade de o IBGE fazer a coleta dos dados, há alguns casos em que pode ser necessária a ajuda da Pastoral Carcerária.

Como o Estado já antecipou, o censo teria dois eixos. O primeiro é fazer o cruzamento dos dados dos poderes públicos – somando o levantamento de informações penitenciárias feito pelo Ministério da Justiça (Infopen) e o banco de dados do próprio CNJ, o Geopresídios. Em seguida, a ideia é criar um cadastro nacional de detentos, individualizado, com a situação processual e as informações sobre há quanto tempo está detido, há quanto tempo aguarda julgamento e se já estaria preso além do tempo que deveria. Um dos benefícios seria ajudar a diminuir a superlotação.

Ainda na semana passada, o Planalto antecipou o lançamento do Plano Nacional de Segurança, que prevê a construção de cinco cadeias federais. Segundo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, os investimentos de 2,2 bilhões de reais previstos para 2017 e a liberação no ano passado de1,2 bilhão do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) marcam o “maior investimento da história” na área.

Preocupados com a demora na construção das cadeias e diante dos desdobramentos da Operação Lava Jato, porém, interlocutores do presidente Michel Temer dão como certo que será necessário fazer uma licitação internacional pra acelerar a entrega de unidades prisionais. “É preciso agilidade na construção dos presídios”, disse um auxiliar do presidente ao Estado.

Domiciliar

No último domingo, 8, a Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou uma reclamação no STF para que as autoridades locais respeitem os direitos dos detentos e adotem uma série de medidas para desafogar as prisões. Entre os pedidos da DPU está o de que seja garantido imediatamente o direito de progressão de pena dos detentos, com a aplicação do regime domiciliar, caso não haja vagas em estabelecimentos apropriados.

Segundo a DPU, as reportagens sobre o massacre em Manaus “esclarecem factualmente a situação” e os macabros detalhes são “notórios”. A Defensoria quer que não haja alojamento conjunto de presos de regime semiaberto e aberto com os do regime fechado. Além disso, por causa do déficit de vagas, solicitou que sejam recolhidos ao regime fechado apenas detentos e detentas equivalentes à estrita capacidade de cada presídio.

(Com Estadão Conteúdo)

 

Print Friendly, PDF & Email
Corpos estavam em plantação de soja a 70 km da linha internacional

Dois brasileiros, um de 24 anos e outro de 32, foram encontrados mortos em uma plantação de soja no distrito de Ybipê, no departamento de Tanaran, no Paraguai a 70 quilômetros de Coronel Sapucaia, na linha internacional.

No local onde os corpos estavam foram encontradas arma, munições e material de acampamento. A Polícia Nacional do Paraguai é que está responsável pelo caso. A principal linha de investigação é que o crime tenha relação com o tráfico de drogas, pois as vítimas seriam traficantes.

Uma das víitmas estaria envolvida na tentativa de homicídio ao senador paraguaio Robert Acevedo, em 2010, e também teria ligação com o traficante conhecido como Di Menor, morto na fronteira em 2015.

Fonte: 24hNewns

Print Friendly, PDF & Email

Deputado federal Weverton Rocha (PDT-MA) criticou os projetos de reformas da Previdência e Trabalhista no governo de Michel Temer; segundo o pedetista, “não podemos tratar por igual um país que tem desigualdades tão grandes, a começar pela expectativa de vida. Nem podemos impor uma idade mínima que é inalcançável para muitos”; sobre a reforma trabalhista, Rocha afirmou que a “preservação do emprego não pode ser desculpa para o desmonte de poder de negociação do empregado”; as declarações são um reflexo do quanto os pedetistas criticarão cada vez mais o governo como uma forma de dar “fôlego” à pré-candidatura do ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), contrário ao golpe contra Dilma e um dos críticos mais ferrenhos do atual governo

O líder do PDT na Câmara dos Deputados, Weverton Rocha (MA), criticou os projetos de reformas da Previdência e Trabalhista no governo de Michel Temer. A postura do parlamentar já é um reflexo do quanto os pedetistas criticarão cada vez mais a gestão do peemedebista como uma forma de dar “fôlego” à pré-candidatura do ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE). O partido do ex-governador do Ceará também foi contrário ao golpe contra Dilma Rousseff. Ciro é um dos críticos mais ferrenhos de Temer, que, segundo o ex-ministro, é “chefe da bandidagem” e “anão moral, traidor e parceiro intimo de tudo que não presta“, além de “sócio” do ex-deputado federa Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está preso. O juiz Sérgio Moro considerou que ele representa risco à ordem pública e possibilidade de fuga para o exterior por ter disponibilidade de recursos ocultos fora do País e da dupla cidadania (Cunha tem passaporte italiano).

Ao comentar a reforma da previdência, Rocha disse haver “consenso que do jeito que está não pode ficar. Mas também não pode ser do jeito que o governo propõe”. De acordo com o parlamentar, “não podemos tratar por igual um país que tem desigualdades tão grandes, a começar pela expectativa de vida. Nem podemos impor uma idade mínima que é inalcançável para muitos”.

“Defendo que a reforma seja feita, mas depois de um debate amadurecido com todos os setores. E que as medidas mais duras sejam acompanhadas de um esforço do Estado para controlar as fraudes e sangrias feitas na Previdência Social”, afirmou Rocha em texto publicado no Congresso em Foco.

A proposta do governo Temer aumenta a idade mínima da aposentadoria de 53 para 65 anos, tanto para homens como para mulheres, e o tempo mínimo de contribuição aumenta de 15 para 25 anos. Segundo o cálculo do governo, aos 65 anos e com 25 anos de contribuição, o valor do benefício será de 76% da média de todas as contribuições. Com 26 anos de contribuição, 77%. Com 27 anos, 78%. O percentual chega a 100% (aposentadoria integral) com 49 anos de contribuição.

“O outro desafio é a reforma trabalhista. Modernizar as relações de trabalho é necessário, mas isso não pode significar a precarização do direito do trabalhador. A preservação do emprego não pode ser desculpa para o desmonte de poder de negociação do empregado, que sempre será o elo mais frágil da relação trabalhista”, acrescentou.

O projeto faz prevalecer as negociações entre as classes patronal e trabalhadora sobre a legislação trabalhista. 

Segundo o parlamentar, “resolver as duas situações não será fácil. Mas como disse, acredito na luta bem lutada para que se alcance um bom resultado”. “Então, vejo que em 2017 teremos duras batalhas, mas confio no nosso povo, confio nas nossas instituições e tenho uma esperança atuante que chegaremos a um bom termo para começarmos a sair da crise”, disse. A solução para a crise é “o diálogo democrático resultante na união em torno de um objetivo comum”, pontuou o deputado.

Fonte: Brasil 247

Print Friendly, PDF & Email

A intensa chuva ocorrido durante a madrugada e a manhã desta segunda-feira,9, causou intensa destruição em São Luís. O Hospital Dr. Clementino Moura, o Socorrão II amanheceu alagado.

A sala de estabilização ficou inundada, impedindo inclusive que pacientes permanecessem no local. Os corredores também ficaram cheio d’água.

O caso é recorrente e sempre no período chuvoso há registro de alagamentos.

VEJA O VÍDEO

DO LUÍS CARDOSO

Print Friendly, PDF & Email
Quem fez a denúncia foi a mãe do jovem.

Foto: Reprodução

O menino de 16 anos foi apreendido nesse domingo (8) após a mãe denunciar que o menor tentava estuprar a irmã mais nova. Segundo a PM, a mãe da vítima abordou os policiais no setor P Norte, em Ceilândia, no Distrito Federal, dizendo que o filho estava tentando violentar a irmã menor e ameaçando a jovem e a mãe com uma faca.

Os policiais foram até a residência da família e o jovem estava dormindo no momento. O tenente encarregado do caso contou que o jovem relatou para PM já ter perdido as contas de quantas vezes violentou a irmã.

O menor foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente em Taguatinga. Ele não tem antecedentes criminais, mas o pai dos adolescentes está preso também pelo crime de estupro, além de outras infrações.

O tenente informou que o pai dos menores foi condenado a 32 anos em regime fechado, por diversos crimes, entre eles o de ter estuprado sua outra filha, que na época tinha 5 anos.

Segundo a PM, a filha teria contado para a mãe, na noite anterior, que o irmão a abusava com frequência e que estava ameaçando ela e os demais familiares caso a menina resolvesse denunciá-lo.

Fonte: 24hNews
Print Friendly, PDF & Email

Grande mídia preocupada com mortes nos presídios e não divulga as chacinas que ocorrem nas cidades; São Luís teve 5 mortes violentas no fim de semana 

Dois irmãos foram mortos dentro de casa; só neste mês 18 mortes violentas já ocorreram na ilha

Cinco homicídios dolosos (quando há a intenção de matar) foram registrados na Região Metropolitana de São Luís de sábado até a tarde de ontem. No bairro Santa Bárbara, dois irmãos foram mortos. O caso aconteceu no sábado, por volta de 16h, e foi registrado no plantão da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP). As vítimas foram José Renato Reis da Silva, de 31 anos de idade, e Leonardo Reis da Silva, de 24 anos.

Mortes
De acordo com o registro do Boletim de Ocorrência, a tia das vítimas relatou à polícia que os seus sobrinhos foram mortos à tiros dentro de casa. De acordo com o relatório, Leonardo Reis encontrava-se ingerindo bebida alcoólica na área externa com amigos, quando chegaram no local cerca de seis indivíduos com armas de fogo e desferiram vários tiros contra o grupo.

Leonardo Reis correu para dentro da casa, mas foi perseguido pelos criminosos. Dentro da casa estava José Renato Reis e, assim que os bandidos o encontraram, desferiram vários tiros contra ele, que morreu no local. Em seguida, eles mataram Leonardo, com disparos na região da cabeça.A comunicante disse também que os seus sobrinhos não integravam nenhuma organização criminosa. O caso está sendo investigado pela SHPP e, até o momento, ninguém teria sido preso.

As outras mortes registradas no sábado até a tarde de ontem foram de Naidson Sousa Silva, de 29 anos de idade, vítima de arma de fogo na Cidade Operária; Reginaldo Mendes Sousa, de 51 anos, vítima de arma de fogo no Centro; José dos Reis Lima Barros, de idade não revelada, vítima de arma de fogo na Matinha.

O Instituto Médico Legal (IML) também registrou a morte nesse fim de semana de Moacir Rodrigues da Costa Filho, de idade não revelada, que morreu vítima de acidente de trânsito. No instituto também deu  entrada o corpo de um homem procedente do município de Raposa cuja identificação e causa da morte ainda estão sendo investigadas.

Este mês, 18 mortes violentas foram registradas na Grande Ilha até a tarde de ontem, sendo 16 homicídios dolosos e duas lesões corporais seguidas de morte. Uma pessoa morreu vítima de atropelamento e outras duas a causa da morte ainda está sendo investigada. 

Fonte: Blog do Filipe Mota

Print Friendly, PDF & Email

Obras de infraestrutura no Nordeste do País são priorizadas pelo Ministério dos Transportes. Nesta quinta-feira (5), foram autorizadas obras em cidades do Maranhão, como a duplicação de trecho da rodovia BR-135 em Bacabeira e pavimentação de trecho da BR-226 em Timon.

Ao todo, serão investidos R$ 66,5 milhões para a duplicação da estrada. Deste valor, R$ 25 milhões já foram empenhados no final de dezembro de 2016. O trecho, compreendido entre o povoado de Outeiro e a cidade Miranda do Norte, possui de 32,1 quilômetros. O trecho de 44,7 quilômetros, entre Bacabeira e Outeiro, está em fase de contratação e, em breve, terá ordem de serviço decretada. A expectativa é de que em três meses as obras no local sejam iniciadas.

A obra tornará o percurso mais seguro para o turismo e para o transporte de cargas. A obra, paralisada durante 4 anos, foi retomada e tem previsão de entrega em meados de 2017.

Em Timon, a pavimentação asfáltica cobrirá 111,5 quilômetros das rodovias BR-226 e BR-316 no município. Este é o último trecho sem pavimento entre as capitais São Luís (MA) e Teresina (PI). Para estas obras, serão gastos o total de R$ 88,5 milhões. Deste valor, o Ministério já empenhou R$ 42,8 milhões, além da previsão de R$ 50 milhões referente ao orçamento de 2017.

“Estamos começando as ações do Ministério deste ano, especialmente, pelo Nordeste, onde, há décadas, a falta de infraestrutura tem sido uma das grandes responsáveis pelas mazelas sociais que assolam os estados da região. As cidades do interior são especialmente atingidas pelas dificuldades de acesso, o que têm causado o atraso do desenvolvimento socioeconômico de diversos municípios”, destacou o ministro Maurício Quintella.

As obras nas rodovias, além de proporcionar maior segurança e diminuir os preços de fretes, serão responsáveis por intensificar a integração regional. No caso da BR-226, com o asfaltamento do trecho, 37 cidades maranhenses ficarão ainda mais próximas, em razão do encurtamento do tempo de viagem entre elas.

Fonte: Portal Brasil

Print Friendly, PDF & Email

Líder da Igreja Mundial do Reino de Deus sofre atentado de morte. Saiba mais

Na manhã deste domingo, vídeos publicados pela família do pastor Valdemiro Santiago indicam que ele sofreu um atentado contra sua vida. Ainda não sabe ao certo o que aconteceu. No entanto, as informações extraoficiais dão conta de que um homem, em pleno culto realizado na manhã deste domingo, 8, apareceu atrás do religioso e tentou matá-lo. O homem estaria disfarçado de fiel e aproveitou que o pastor orava para desferir uma facada em seu pescoço. De acordo com informações do site ‘Notícias Gospel Prime’, o atentado foi mesmo realizado em pleno culto. O homem tentou matar Valdemiro com um facão afiado e já teria sido preso. O site divulgou fotos do suspeito de tentar acabar com a vida do líder da Igreja Mundial do Reino de Deus.

Em vídeos publicados na internet, que podem ser vistos ao final dessa reportagem, o próprio pastor confirma que sofreu um atentado. Ele publicou até mesmo uma foto do corte profundo que sofreu no pescoço. Mesmo após levar muitos pontos na região, ele ainda sangrava. O religioso está com sua esposa em um hospital, que até agora não teve o seu nome revelado. Ele deve passar no local os próximos dias em observação, mas aparentemente, seu estado de saúde é muito bom, pois ele fala nos vídeos que ganharam a web.

Print Friendly, PDF & Email
https://api.clevernt.com/0afa428e-0adf-11ea-8f8b-2a8506f909e7/