Connect with us
Hora

Notícia Geral

Eike Batista é levado pela PF a prestar depoimento no Rio

Publicado

em

O empresário Eike Batista, preso na Operação Eficiência, foi levado nesta terça-feira à tarde à Delegacia de Combate à Corrupção, na sede da Polícia Federal, para prestar depoimento. A autorização foi dada pela juíza Débora Valle de Brito, substituta da 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro.

Antes de embarcar de Nova York para o Rio, Eike demonstrou em entrevistas que pretende colaborar com as investigações, ao afirmar que vai mostrar “como as coisas são”. Uma possível delação premiada ainda depende de negociação com o Ministério Público Federal.

O ex-bilionário ocupa desde a tarde de ontem uma cela de 15 metros quadrados com quatro beliches no presídio de Bandeira Stampa, conhecido como Bangu 9, no Complexo Penitenciário de Gericinó, Zona Oeste do Rio. A unidade é destinada a milicianos e ex-policiais militares. O empresário divide o espaço com outros seis presos da Lava Jato que, assim como ele, não têm curso superior.

A cela não tem vaso sanitário – os presos fazem necessidades em um buraco no chão, conhecido como boi. No lado oposto, há um cano por onde sai água fria. A prisão sofre ainda com problemas de abastecimento de água e entupimento no sistema de esgoto, segundo funcionários da unidade. Os registros são abertos três vezes ao dia, de acordo com os servidores. A Secretaria de Administração Penitenciária negou os problemas.

Cada preso tem direito a levar uma televisão de 14 polegadas e um ventilador. Eles recebem quatro refeições ao dia – café da manhã e lanche, composto de pão com manteiga e café com leite; e almoço e jantar, em que são servidos uma proteína, arroz ou macarrão, feijão, e legumes, além de refresco e sobremesa (fruta ou gelatina).

A família de Eike terá de fazer a carteira de visitante, que permite o acesso ao complexo penitenciário. O documento fica pronto entre quinze dias e um mês. Antes desse prazo, é possível pedir à secretaria autorização especial para visita.

VEJA.COM

Continuar Lendo

Notícia Geral

Flávio Dino: “Se os Governadores tiverem de bancar o auxílio, Bolsonaro provará sua total inutilidade

O Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou neste sábado (27) a declaração de Jair Bolsonaro de que, a partir agora, os governadores que “fecharem seus estados” devem custear uma nova rodada do auxílio emergencial.

Publicado

em

Por

O Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), criticou neste sábado (27) a declaração de Jair Bolsonaro de que, a partir agora, os governadores que “fecharem seus estados” devem custear uma nova rodada do auxílio emergencial.

“Se os governadores tiverem que bancar até o auxílio emergencial, aí mesmo que o presidente da República vai provar sua total inutilidade”, disse o chefe do Executivo maranhense. Os relatos de governadores foram publicados pela coluna Painel.

Quem também criticou o posicionamento de Bolsonaro foi o governador do Piauí, Wellington Dias. “Não é razoável o líder de um país fazer o cidadão ter que escolher entre comida na mesa ou a vida”, declarou Wellington Dias (PT-PI).

“Que absurdo!”, disse a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT-RN). “Até onde vai essa marcha da insensatez liderada pela maior autoridade do país?”, acrescenta.

Neste sábado (27), Bolsonaro voltou a fazer lobby contra o isolamento social, por meio de uma postagem no Twitter.

Pelo menos 13 estados brasileiros estão com taxas de internação por Covid-19 acima de 80% nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) da rede pública.

Informações Domingos Costa

Continuar Lendo

Notícia Geral

Bolsonaro diz que, daqui para frente, ‘governador que fechar estado’ deve bancar auxílio

Bolsonaro deu a declaração referindo-se àqueles que adotam medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia de Covid-19, como implantação de toque de recolher e proibição total de atividades não essenciais.

Publicado

em

Por

O Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta sexta-feira (26) em visita a Caucaia, na Grande Fortaleza, que daqui para a frente os governadores que “fecharem seus estados” é que devem bancar o auxílio emergencial.

Bolsonaro deu a declaração referindo-se àqueles que adotam medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia de Covid-19, como implantação de toque de recolher e proibição total de atividades não essenciais.

“A pandemia nos atrapalhou bastante, mas nós venceremos este mal, pode ter certeza. Agora, o que o povo mais pede, e eu tenho visto em especial no Ceará, é para trabalhar. Essa politicalha do ‘fica em casa, a economia a gente vê depois’ não deu certo e não vai dar certo. Não podemos dissociar a questão do vírus e do desemprego”, afirmou o presidente.

“São dois problemas que devemos tratar de forma simultânea e com a mesma responsabilidade. E o povo assim o quer. O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e, daqui para frente, o governador que fechar seu estado, o governador que destrói emprego, ele é quem deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do Presidente da República essa responsabilidade.”

No Maranhão, por exemplo, o governador Flávio Dino (PCdoB) já admite medidas mais restritivas (reveja).

Com informações do G1.

Continuar Lendo

Notícia Geral

VEREADORA WÂNIA MELO REÚNE-SE COM MÁRCIO JERRY E MÁVIO ROCHA

A reunião aconteceu em São Luís-MA

Publicado

em

Por

Na manhã da última sexta-feira, 26 de fevereiro, aconteceu a primeira sessão ordinária da Câmara de vereadores de São Luís Gonzaga-MA, na oportunidade, Wânia Melo, vereadora do Partido Comunista do Brasil-PC- do B, usou a tribuna da casa para informar da agenda que teve em São Luís com secretário e deputado federal. 

No dia 17 de fevereiro deste ano, ás 17h no prédio da secretaria de Agricultura familiar do Estado, Wânia foi recebida por Mávio Rocha, secretário adjunto da Secretária de Agricultura Familiar do Estado, a vereadora solicitou do secretário kits de irrigação para o município. 

Márcio Jerry, Wânia Melo e Mávio Rocha

Estamos aqui para ajudar a desenvolver a agricultura dos municípios, a vereadora solicitou kits de irrigação para ajudar os companheiros da agricultura de São Luís Gonzaga, nós vamos mandar para o município, disse o secretário.

Após o fim da reunião com Mávio Rocha, ambos reunira-se com o deputado federal Márcio Jerry, atual secretário de cidades e Desenvolvimento Urbano do Maranhão (Secid). Na reunião, o deputado federal sinalizou que poderá mandar uma emenda para compra de  um tomógrafo para a saúde do município.

Estive em São Luís, buscando melhorias para nossa cidade, estive em reunião com Mávio Rocha, secretário de Estado e com Márcio Jerry, deputado federal, no momento em que estava reunida com Mávio Rocha, solicitei dele kits de irrigação, barracas para feira que irão ajudar o nosso povo tão trabalhador da agricultura. Na reunião com o deputado fiz um pedido de um tomógrafo para o município, Márcio Jerry, colocou-se a disposição para ajudar a cidade, disse a vereadora na tribuna da Câmara 

Continuar Lendo

Destaques da Semana