Connect with us
Hora

Crimes

Mãe e sogro são assassinados a tiros em Cajari

O caso aconteceu no último sábado dia 12.

Publicado

em

A Polícia Civil está investigando a morte de uma mãe e o sogro, após uma dupla armada invadir a residência e atirar contra vários membros da família no município de Cajari, na região da baixada maranhense.

O caso aconteceu por volta das 13h25 deste sábado (12), na Travessa da Conceição, bairro Tamancão. Segundo a polícia, as vítimas foram identificadas como Nilcilene Oliveira, de 43 anos; e Ademar Muniz Pinheiro, de 70 anos.

Testemunhas informaram à polícia que Nilcilene é mãe de um jovem conhecido como ‘Romarinho’, que teria participado do assassinato de um homem conhecido como ‘Neto’, membro de uma facção criminosa na região.

Por conta disso, cerca de quatro homens invadiram a casa da família mas não encontraram Romarinho. Depois disso, os criminosos balearam a mãe, Nilcilene; e o sogro, Ademar, que morreram no local. Um outro homem também foi baleado e levado a um hospital de São Luís ainda com vida. Já o marido de Nilcilene e um outro filho conseguiram escapar com vida.

Após os homicídios, os quatro criminosos fugiram e ainda não foram encontrados. A cidade de Cajari não tinha delegados no dia do crime, então um policial civil de Penalva (cidade vizinha) foi deslocado para iniciar as investigações.

Fonte: Neto Ferreira

Crimes

Suspeito de estuprar criança de 9 anos é preso em Alto Parnaíba

Suspeito de estuprar criança de 9 anos é preso em Alto Parnaíba.

Publicado

em

Por

Suspeito de estuprar criança de 9 anos é preso em Alto Parnaíba
A polícia prendeu um homem no município de Alto Parnaíba por suspeita de cometer o crime de estupro de vulnerável, no ano de 2018, contra uma criança de nove anos.
O suspeito foi conduzido à Delegacia Regional de Polícia Civil de Balsas e encontra-se à disposição da justiça.
Continuar Lendo

Crimes

“A Carol poderia ter sido salva”, diz jovem que teve relacionamento com o acusado do feminicídio

“Ele (Gilgleidson) me agrediu covardemente, me ameaçou, se tivesse sido preso naquela época talvez Carol estivesse aqui hoje com vida”, relatou a jovem Andreia Aguiar, que conviveu por 8 meses com o PM acusado de matar a jovem Carol.

Publicado

em

Por

No dia 5 de setembro completaram dois meses do assassinato da jovem Carol, de 17 anos, morta dentro da residência onde morava com o Policial Militar Gilgleidson. O caso ganhou grande repercussão, destaque até mesmo a nível nacional. Hoje, para a equipe de investigação do crime não resta dúvidas de que Gilgleidson, que está preso, foi quem matou Carol. 

Recentemente a família da vítima procurou a delegacia de Coroatá para saber mais sobre a investigação e a avó da jovem explicou que só faltam “alguns detalhes” para a finalização do caso e que Gilgleidson será submetido a júri popular.

A polícia continua colhendo depoimento para reforçar o inquérito. Um desses depoimentos será da jovem Andreia Aguiar, quem conviveu durante 8 meses com o policial Gilgleidson. Em conversas com o portal Coroatá Online, Andreia revelou acreditar que Carol poderia ter sido salva se o ex companheiro, e principal suspeito do crime, tivesse sido preso na época em que a agrediu.

“Ele (Gilgleidson) é um ser humano desprezível. Me agrediu covardemente, ameaçou minha mãe, meu filho. Eu fiz o boletim, o laudo comprovou as agressões e ele deveria ter sido preso, mas não foi. Carol poderia ter sido salva se ele estivesse na cadeia. Veja bem, há muitos policiais bons, como na civil que estavam do meu lado, inclusive disseram que eu deveria ter pedido a prisão dele, mas como ia fazer isso com eles me ameaçando a todo momento? Eu consegui a medida protetiva, o pai dele passava na minha porta para intimidar. Eu estava traumatizada e sufocada. Hoje tenho mais confiança e quero que ele pague pelo que fez”, disse Andreia.

A jovem fez um desabafo sobre a violência que acontece contra as mulheres e que muitas vezes a sociedade finge desconhecer.

“Nós sabemos que em muitos casos a justiça falha e a corrupção destrói a sociedade. Como pode uma jovem mulher ser agredida covardemente, comprovada em laudo, e ainda assim a tacharem de louca, como muitos colegas dele me falavam. Como pode uma pessoa que se diz policial fazer isso com alguém e estar livre como se nada tivesse acontecido? Felizmente hoje ele está preso e espero de verdade que pague pelos crimes que cometeu, tanto pelo homicídio como pela Lei Maria da Penha, que está respondendo”, disse.

Confira a seguir o vídeo onde a jovem deu detalhes sobre as agressões sofridas:

 

Do Coroatá Online

Continuar Lendo

Crimes

Mulher mata companheiro com golpe de faca durante briga no interior do Maranhão

O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) foi acionado e o homem foi levado para o Hospital Municipal da cidade, mas acabou morrendo

Publicado

em

Por

Um homem identificado como Júnior Bringel foi morto pela própria companheira, na madrugada de sábado, na Vila Ildemar, em Açailândia, no Maranhão.
Segundo informações do 26° Batalhão da PM, a mulher contou que, no momento do crime, estava sendo agredida e deu uma facada no companheiro para se defender.
O Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) foi acionado e o homem foi levado para o Hospital Municipal da cidade, mas acabou morrendo.

De acordo com o relatório da PM, o médico que fez o atendimento relatou que homem foi atingido na artéria aorta e morreu logo depois.

Ainda segundo a PM, a mulher, identificada do Queure Bringel, foi levada para a delegacia sem apresentar nenhuma resistência. 
Continuar Lendo

Destaques da Semana