Cenas de desespero, para saber quem pega o primeiro pedaço. Foi isso que aconteceu hoje (10), na BR – 316, no KM – 17, em Codó. Uma carreta que transportava carga viva (boi) tombou, e em menos de 5 minutos muita gente apareceu, de vários lugares, para abater, provavelmente, os animais que estavam agonizando. O local pareceria um formigueiro. Até um carro foi registrado no local, para fazer o transporte do animal abatido.

O local virou um matadouro a céu aberto. O acidente aconteceu por volta das 14:30h, não tivemos informações sobre o estado do motorista da carreta, que pelo visto, poucos tiveram essa preocupação.

Carne, de graça, às vezes sai mais cara!

DO SANDRO VAGNER

O governador do Maranhão, Flávio Dino, rebateu as acusações sobre um eventual benefício a um filiado do PCdoB em aluguel de imóvel na Aurora. Segundo o chefe do executivo estadual, no governo de Roseana Sarney haviam contratos milionários de aluguel com o próprio Senador José Sarney, pai da então governadora; “Enquanto isso, ‘sou acusado’ de favorecer um cidadão que não conheço, não sei quem é, não é meu parente, de um imóvel que não escolhi”, afirmou ele no Twitter; segundo ele, “se houver qualquer dúvida jurídica” sobre a polêmica, “a lei será aplicada, como tem sido sempre no nosso governo”; “Friso: tal nomeação não passa por mim”

Na próxima segunda-feira, 16 de janeiro, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vai retomar a análise dos benefícios pagos pelo órgão. Aposentados por invalidez e pensionista inválidos com 60 anos ou mais estarão isentos da fiscalização. A reativação do programa está prevista na Medida Provisória 767/2017, editada após a MP 739/2016 ter perdido a validade antes da votação pelo Congresso Nacional.
 
O texto reestabelece que os benefícios de auxílio-doença sem data de validade serão encerrados após um prazo de 120 dias. Além disso, a medida retoma a exigência para que a pessoa tenha o direito às concessões novamente depois de ter ficado sem contribuir. Anteriormente, o tempo estipulado para a pessoa retomar a qualidade de segurado era de quatro meses de contribuição. Agora, são exigidos 12 meses de pagamento.
 
De acordo com informações do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário, deverão ser convocados 530 mil beneficiários com auxílio-doença que estão há mais de dois anos sem perícia. Aqueles que não atenderem a solicitação, a ser realizada por meio de carta com aviso de recebimento, terá o benefício suspenso.
 
Resultados
Até outubro de 2016, o INSS realizou mais de 20 mil perícias. Do total avaliado, 80,05% dos benefícios foram cassados; 1,45% foram encerrados, mas houve concessão de auxílio-acidente; 7,25% receberam novo prazo para o encerramento; 4,55% foram encaminhados para reabilitação profissional e 6,15% transformados em aposentadoria por invalidez.
 
Agência CNM, com informações do G1
Menino, conhecido como Wesley Safadinho, tinha leucemia e recebeu a visita do ídolo no hospital após campanha feita por enfermeira na web

Na semana do Natal, voluntárias da Associação Peter Pan, centro de referência no tratamento de crianças com câncer, em Fortaleza, gravaram um vídeo de um menino de 5 anos, que estava no hospital com Leucemia, e tinha o sonho de conhecer Wesley Safadão.

Wesley, mais conhecido como ‘Wesley Safadinho’, gravou um vídeo dizendo que seu sonho era conhecer o astro do forró. O vídeo, compartilhado milhares de vezes nas redes sociais, chegou até o cantor. No dia 30 de dezembro, Wesley Safadão fez uma pausa na agenda e foi até o hospital para realizar o sonho do menino. Em um vídeo, também compartilhado na web, o pequeno aparece ao lado do ídolo, com o CD autografado. “Alguns dias atrás eu vi um vídeo que era o sonho dele poder me conhecer e eu tô muito feliz de estar aqui, pode ter certeza que quem está ganhando o presente sou eu”. No vídeo, Safadão contou que jogou sinuca com o menino, brincou e deu a ele um boné, que estava na cabeça do pequeno na hora do vídeo. Sorrindo, Safadinho cantou a música ‘1%’, um dos maiores hits de Wesley Safadão.

Dez dias depois a vista do ídolo, Wesley Safadinho morreu. A noticia foi compartilhada nas redes sociais com muita tristeza pelas funcionárias do hospital que gravaram o vídeo, pedindo para que Safadão visitasse o menino”.

O menino tinha leucemia, fazia tratamento no Hospital Albert Sabin e segundo Ana, uma das enfermeiras, havia sido desenganado pelos médicos. Nas redes sociais, o vídeo da visita de Safadão emocionou os internautas que torceram para que o encontro entre fã e ídolo acontecesse.

Edivânia Martins, uma das voluntárias responsáveis pelo encontro, lamentou a morte do menino. “Quando eu vim aqui no grupo há alguns dias pedir o último desejo dessa criança, é porque ele estava desenganado e com os dias de vida contados e os médicos não tinham como interferir. Dói muito, mas nosso Wesley Safadinho foi para o maior dos palcos, hoje o meu guerreiro está cantando lá no céu. Fico muito feliz por seu sonho ter sido realizado”. 

Fonte: 24h News

Evento foi chamado de “Bonde do Prato”, em referência ao consumo de drogas.

Em meio à crise carcerária, imagens feitas em Pernambuco evidenciam a perda de controle de gestão em um presídio para mulheres. Um vídeo, que teve autenticidade confirmada pelo Governo do Estado, mostra uma festa de com direito a álcool e drogas realizada pelas presas da Colônia Penal Feminina do Recife, no Engenho do Meio, na Zona Oeste da cidade.

Nas imagens, é possível ouvir as detentas chamando o evento de ‘Bonde do Prato’, fazendo referência ao consumo de drogas, possivelmente cocaína. Na gravação, presidiárias também aparecem com celulares e tiram fotos, enquanto dançam e ouvem música. A maioria se exibe com copos na mão e muitas mostram sorrisos abertos, em um clima de animação.

As imagens são do dia 31 de dezembro de 2016 e seriam da festa de réveillon, segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE). Elas acabaram parando nas redes sociais, no domingo (8). O link do vídeo chegou ao WhatsApp da Globo Nordeste nesta terça (10).

Diante das cenas , o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, informou ao G1 que as presidiárias receberam as devidas punições. Um inquérito administrativo foi aberto para apurar as circunstâncias da festa. “Isso é afrontoso. Nove [presas] forma identificadas por consumo de drogas, estão em celas de disciplina e vão responder a inquérito administrativo”, detalhou Pedro Eurico.

O vídeo

Nas primeiras imagens, o vídeo mostra uma detenta falando ao celular, no meio do corredor da unidade. Outras detentas estão em volta. Em seguida, a câmera focaliza uma das celas. O espaço está ornamentado com panos e tem paredes pintadas em várias cores.

Nesse momento do vídeo, uma das presas afirma é o ‘Bonde do Prato’. Logo em seguida, aparece uma das mulheres cheirando algo que se assemelha à cocaína. Outra presa exibe, com ‘orgulho’, cigarros de maconha. “É massa”, declara outra presidiária, usando uma gíria local para falar sobre o entorpecente.
Depois das imagens captadas na cela, a câmera focaliza de novo a festa no corredor da unidade. O som alto, de uma música brega, vem de um pequeno aparelho e anima as mulheres. Elas dançam, bebem e tiram fotos.

Lotação

A ColôniaPenal Feminina do Recife tem capacidade para 200 detentas. Hoje, abriga 691, de acordo com no Sindicatosdos Agentes Penitenciários de Pernambuco (Sindasp-PE). O número de responsáveis pela guarda, conforme a entidade, não é suficiente.

“São três a quatro pessoas por plantão para dar conta dessa população. O ideal seria contar com pelo menos 30 servidores”, afirma o presidente da entidade, João Carvalho. Diante do problema, ele voltou a cobrar uma posição do governo de Pernambuco sobre o concurso para agentes. “Eles tinham prometido para 2016, mas foi adiado outra vez”, afirmou.

Fonte: 24hNews

Cada nova vaga no sistema prisional custaria de 40 e 50 mil reais aos cofres públicos

Presos passam por revista, após rebelião em presídio de Manaus (Divulgação)

Para acabar com o déficit atual de 250.000 vagas no sistema penitenciário nacional, seria necessário um investimento de pelo menos 10 bilhões de reais. Os números foram apresentados pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) em documento enviado em outubro à presidente do CNJ e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, antes de sua primeira blitz em presídios, no Rio Grande do Norte.

No relatório, o CNJ estimou que cada nova vaga no sistema prisional custaria de 40.000 a 50.000 reais aos cofres públicos. No documento, o Conselho alerta Cármen de que havia, na época, 132 unidades sendo construídas com recursos federais, mas “o tempo médio para construção não tem sido menor do que seis anos para a entrega das obras.

Entre os principais problemas do sistema prisional apontados pelo CNJ à ministra estão superlotação, déficit de gestão (número de agentes penitenciários insuficiente), a ausência de políticas de reintegração social (apenas 13% dos presos estudam e só 20% trabalham) e a mortalidade dentro dos presídios, com surtos de tuberculose, sarna, HIV, sífilis e hepatite entre os detentos.

 

Antes mesmo dos massacres em Manaus e Boa Vista, com 97 mortes, a questão penitenciária já era prioridade de Cármen. A ministra fez blitze no Rio Grande do Norte, no Distrito Federal e no Rio Grande do Sul. No sábado, o presidente Michel Temer foi até a residência da ministra para discutir o assunto.

Na ocasião, Cármen informou que somente a realização de um censo do sistema carcerário nacional deverá custar ao governo federal até R$ 18 milhões. O levantamento com informações detalhadas de cada presidiário no Brasil é uma das propostas da presidente do Judiciário para superar a crise prisional. Ela já teve reuniões a respeito com o presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paulo Rabello de Castro, e com representantes do Exército.

Um dos pontos que ainda não estão definidos no projeto da ministra Cármen Lúcia é como será feita a coleta de informações. Apesar da possibilidade de o IBGE fazer a coleta dos dados, há alguns casos em que pode ser necessária a ajuda da Pastoral Carcerária.

Como o Estado já antecipou, o censo teria dois eixos. O primeiro é fazer o cruzamento dos dados dos poderes públicos – somando o levantamento de informações penitenciárias feito pelo Ministério da Justiça (Infopen) e o banco de dados do próprio CNJ, o Geopresídios. Em seguida, a ideia é criar um cadastro nacional de detentos, individualizado, com a situação processual e as informações sobre há quanto tempo está detido, há quanto tempo aguarda julgamento e se já estaria preso além do tempo que deveria. Um dos benefícios seria ajudar a diminuir a superlotação.

Ainda na semana passada, o Planalto antecipou o lançamento do Plano Nacional de Segurança, que prevê a construção de cinco cadeias federais. Segundo o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, os investimentos de 2,2 bilhões de reais previstos para 2017 e a liberação no ano passado de1,2 bilhão do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) marcam o “maior investimento da história” na área.

Preocupados com a demora na construção das cadeias e diante dos desdobramentos da Operação Lava Jato, porém, interlocutores do presidente Michel Temer dão como certo que será necessário fazer uma licitação internacional pra acelerar a entrega de unidades prisionais. “É preciso agilidade na construção dos presídios”, disse um auxiliar do presidente ao Estado.

Domiciliar

No último domingo, 8, a Defensoria Pública da União (DPU) ajuizou uma reclamação no STF para que as autoridades locais respeitem os direitos dos detentos e adotem uma série de medidas para desafogar as prisões. Entre os pedidos da DPU está o de que seja garantido imediatamente o direito de progressão de pena dos detentos, com a aplicação do regime domiciliar, caso não haja vagas em estabelecimentos apropriados.

Segundo a DPU, as reportagens sobre o massacre em Manaus “esclarecem factualmente a situação” e os macabros detalhes são “notórios”. A Defensoria quer que não haja alojamento conjunto de presos de regime semiaberto e aberto com os do regime fechado. Além disso, por causa do déficit de vagas, solicitou que sejam recolhidos ao regime fechado apenas detentos e detentas equivalentes à estrita capacidade de cada presídio.

(Com Estadão Conteúdo)

 

A anomalia se deve a um problema no desenvolvimento embrionário de gêmeos

Não se sabe o sexo do recém-nascido | Reprodução/YouTube(lared noticias juarez) –

Um bebê com duas cabeças nasceu na última sexta-feira (6/1) em Cuidade Juárez (estado de Chihuahua, México), segundo informou o Instituto de Seguro Social Mexicano (IMSS), citado pelo jornal “La Prensa“.

Um vídeo curto feito logo após o nascimento bicéfalo foi divulgado em redes sociais da web. Não foram divulgados a identidade dos pais e o nome do bebê.

O recém-nascido difere de gêmeos siameses tradicionais, que têm corpos distintos e órgãos geralmente independentes, mas unidos em algum ponto. Neste caso, mais incomum, só há um corpo.

A anomalia se deve a um problema no desenvolvimento embrionário de gêmeos, que acabaram sendo “fundidos”.

De acordo com o “Mirror“, as imagens postadas no YouTube foram liberadas por parentes do bebê, do sexo masculino.

Assista:

Fonte:

Page Not Found

Corpos estavam em plantação de soja a 70 km da linha internacional

Dois brasileiros, um de 24 anos e outro de 32, foram encontrados mortos em uma plantação de soja no distrito de Ybipê, no departamento de Tanaran, no Paraguai a 70 quilômetros de Coronel Sapucaia, na linha internacional.

No local onde os corpos estavam foram encontradas arma, munições e material de acampamento. A Polícia Nacional do Paraguai é que está responsável pelo caso. A principal linha de investigação é que o crime tenha relação com o tráfico de drogas, pois as vítimas seriam traficantes.

Uma das víitmas estaria envolvida na tentativa de homicídio ao senador paraguaio Robert Acevedo, em 2010, e também teria ligação com o traficante conhecido como Di Menor, morto na fronteira em 2015.

Fonte: 24hNewns

1 591 592 593 594 595 597
https://api.clevernt.com/0afa428e-0adf-11ea-8f8b-2a8506f909e7/